Índices da China sobem após deflação dos preços ao produtor diminuir em julho

Alta dos preços globais do petróleo e avanço da atividade industrial para níveis pré-coronavírus animam investidores chineses

Da Reuters
10 de agosto de 2020 às 07:46

Foto: Kim Kyung-Hoon/Reuters

Os índices acionários da China fecharam em alta nesta segunda-feira (10), recuperando perdas iniciais uma vez que dados sinalizando perda de força da deflação ao produtor reforçaram as esperanças de uma recuperação econômica da pandemia.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 0,36%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,75%.

O subíndice do setor financeiro do CSI 300 terminou com ganho de 1,34%, o de consumo subiu 0,11%, o imobiliário saltou 3,08% e o de saúde caiu 0,62%.

Os ganhos se deram depois que dados mostraram que a deflação dos preços ao produtor na China diminuiu em julho em meio à alta dos preços globais do petróleo e conforme a atividade industrial avança para os níveis pré-coronavírus, ampliando os sinais de recuperação na segunda maior economia do mundo.

Mas as tensões sino-americanas devem continuar pesando sobre o sentimento depois que o gabinete do alto representante de Pequim em Hong Kong denunciou sanções impostas por Washington a autoridades chinesas e de Hong Kong.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei permaneceu fechado.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,63%, a 24.377 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,75%, a 3.379 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,36%, a 4.724 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 1,48%, a 2.386 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 0,51%, a 12.894 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES não teve operações.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 1,76%, a 6.110 pontos.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook