Marcelo Guaranys diz que agenda liberal continua e que teto é de "titânio"

Secretário executivo do Ministério da Economia, reiterou que as medidas liberais propostas por Paulo Guedes irão continuar

Da CNN
12 de agosto de 2020 às 21:47 | Atualizado 12 de agosto de 2020 às 21:59

Após a “debandada” da equipe econômica de Paulo Guedes, Marcelo Guaranys, secretário executivo do Ministério da Economia, disse, em entrevista à CNN, que as medidas liberais propostas pelo ministro da economia vão continuar e afirmou que a amplitude do plano do governo torna difícil a compreensão das propostas. Ele também comentou sobre a comunicação do governo.

“A agenda liberal continua. As mudanças que queremos exigem muitas reformas. Atacamos várias frentes ao mesmo tempo, então fica difícil perceber o todo. É natural que haja críticas sobre nossa comunicação, temos que avançar e explicar tudo para poder convencer a população e Congresso.”

Leia também

'Respeitamos o teto de gastos e queremos responsabilidade fiscal', diz Bolsonaro

Privatizações devem começar no ano que vem, diz secretária do PPI

Questionado sobre o teto de gastos – colocado em xeque por alguns integrantes do governo e, posteriormente, defendido por Paulo Guedes e Bolsonaro – Guaranys diz que não há possibilidade de se furar o teto, que segundo ele é de “titânio”.

“O teto é importante porque mostra a credibilidade em relação ao que fazemos com o dinheiro do povo. Se queremos gastar mais, temos que subir o piso, e com o piso baixo não temos condições de gastar naquilo que a população precisa". 

(Edição: Sinara Peixoto)