Apesar de temor fiscal e quedas no exterior, Ibovespa fecha em alta; dólar sobe

O avanço desta sexta-feira no Ibovespa, porém, não foi suficiente para que o índice encerrasse a semana no azul

Do CNN Brasil Business, em São Paulo
14 de agosto de 2020 às 09:12 | Atualizado 14 de agosto de 2020 às 17:56
O dólar voltou a superar a casa dos R$ 5,40 nesta sexta
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Mesmo diante do aumento de incertezas sobre o cumprimento do teto de gastos pelo governo, a bolsa brasileira encerrou o pregão em alta nesta sexta-feira (14), diante de boas notícias sobre a atividade econômica no país e uma enxurrada de resultados corporativos. O principal índice da B3 subiu 0,89%, aos 101.353,45 pontos.

Com a alta, a bolsa brasileira se descola do exterior. Nos Estados Unidos, os principais índices caíram por causa de números fracos de vendas no varejo e falta de avanços nas negociações por um novo pacote de estímulos à economia norte-americana. 

O avanço desta sexta-feira no Ibovespa, porém, não foi suficiente para que o índice encerrasse a semana no azul. A perda semanal de 1,38% e recuo no mês de 1,51%

"Foi uma semana de realização. As compras parecem ainda mais concentradas em investidores individuais que têm uma limitação nas suas compras e convicções mais fracas que investidores estrangeiros, que só vêm saindo da bolsa brasileira ao longo do ano de 2020, e dos institucionais", observou Eduardo Levy, diretor de Investimentos da Kilima Gestão de Recursos.

O dólar fechou em firme alta ante o real, amparado pela demanda de investidores por proteção antes do fim de semana, conforme o mercado adota cautela com o noticiário fiscal.

A gangorra no mercado cambial persistiu, com a moeda brasileira voltando a ocupar o posto de pior desempenho na sessão entre as principais divisas, um dia depois depois de liderar os ganhos e dois dias após ser lanterna entre seus pares.

O dólar à vista terminou a sexta em alta de 1,12%, a R$ 5,42 na venda. A cotação oscilou entre apreciação de 1,41%, para R$ 5,44, e queda de 0,18%, a R$ 5,35.

Contexto

Ontem, o presidente Jair Bolsonaro admitiu discussões internas no governo sobre furar o teto de gastos públicos, um dia após ter participado de reunião com Guedes e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), sobre a política econômica.

Hoje, porém, Bolsonaro recuou e voltou ao discurso de que a responsabilidade fiscal é o "norte" do governo.

Investidores ainda estavam de olho em dados sobre a atividade econômica, divulgados pelo Banco Central logo no início do dia. Após demonstrar recuperação em maio, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) acelerou, registrando uma alta de 4,89% em junho, resultado acima do esperado por analistas do mercado. 

Destaques

As ações da Natura (NTCO3) dispararam 8,18% depois que a empresa reportou prejuízo de R$ 392 milhões no segundo semestre. O tombo, porém, foi menor que o esperado pelo mercado. O Bradesco BBI avaliou o desempenho do grupo como "bom, tanto em receita quanto em lucros". 

Já a JBS (JBSS3) viu suas ações valorizarem 5,19% depois que a empresa informou que encerrou o segundo trimestre de 2020 com lucro líquido de R$ 3,379 bilhões, ou R$ 1,27 por ação, valor 54,8% maior do que o lucro de 2,183 bilhões verificado no mesmo período de 2019.

Depois que a B2W (BTOW3) anunciou que teve prejuízo de R$ 74,6 milhões no período, ante resultado também negativo de R$ 127,6 milhões um ano antes, suas ações caíram 6,89%. Os papéis da Lojas Americanas (LAME4) caíram 3% hoje. 

Bolsas globais

Em Wall Street, as bolsas recuaram, com investidores decepcionados com os números do varejo do país. As vendas no setor cresceram, mas a recuperação ficou abaixo do que esperavam especialistas. 

A falta de perspectiva sobre aprovação de um novo pacote para estimular a economia dos Estados Unidos também ajudou a pressionar os índices para baixo. 

Com isso, a cautela deu o tom no pregão de hoje. A Nasdaq, que reúne as empresas de tecnologia, teve desvalorização de 0,39%. O S&P 500 caiu 0,22% e o Dow Jones teve queda de 0,22%. 

As ações europeias também caíram, em negociações de volume reduzido nesta sexta-feira, com o setor de viagens despencando depois que o Reino Unido acrescentou mais países a sua lista de quarentena, enquanto dados fracos de todo o mundo levantaram dúvidas sobre o ritmo da recuperação econômica diante da crise do coronavírus.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 1,24%, a 1.427 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 1,2%, a 368 pontos.

As ações de viagens e lazer recuaram 2,3%, liderando as perdas setoriais.

Já na China, após o governo sinalizar que vai estimular a demanda interna, os índices do país fecharam a sexta (14) em alta com suporte das ações de consumo. O CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 1,49%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 1,19%.

Com Reuters)