Exonerações de Uebel e Salim Mattar são publicadas no Diário Oficial

As duas baixas da equipe econômica foram divulgadas na última semana, quando Guedes se utilizou do termo "debandada" para comentar as saídas

Diego Freire, da CNN, em São Paulo
18 de agosto de 2020 às 01:50 | Atualizado 18 de agosto de 2020 às 04:49
O ministro da Economia, Paulo Guedes
Foto: Adriano Machado/Reuters (11.ago.2020)

Foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (18) as exonerações de Paulo Uebel, do cargo de secretário especial de Desburocratização, e Salim Mattar, secretário de Desestatização do Ministério da Economia. As duas saídas foram antecipadas pelo analista Igor Gadelha, da CNN, e confirmadas por Paulo Guedes na última semana.

Os dois deixam suas respectivas secretarias "a pedido".

Segundo apurou a CNN, Uebel pediu exoneração por discordar da estratégia do governo federal de deixar a reforma administrativa para 2021. Salim, por sua vez, pediu para deixar o cargo por discordar da postura do governo em relação às privatizações. 

Guedes chegou a utilizar o termo "debandada" para falar sobre as duas saídas conjuntas, mas afirmou, a auxiliares, que fica no governo.

Em entrevista exclusiva à CNN, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a saída de Guedes "nunca foi cogitada".

"Paulo Guedes é aliado de primeira hora. Entramos juntos no governo e vamos sair juntos", disse o presidente ao repórter Leandro Magalhães.

Nesta segunda (17), a equipe econômica teve uma nova baixa, em meio à à crescente pressão de integrantes do governo para flexibilizar o Teto de Gastos. O subsecretário de Política Macroeconômica, Vladimir Kuhl Teles, deixou o cargo nesta segunda. A exoneração se deu a pedido de Teles.