Bélgica investiga se Credit Suisse ocultou mais de 2 mil contas

A investigação dos promotores federais está em fase de coleta de informações e nenhuma acusação foi feita, disse um porta-voz dos promotores nesta segunda-feira

Philip Blenkinsop, da Reuters
24 de agosto de 2020 às 13:13 | Atualizado 24 de agosto de 2020 às 13:14

Sede do Credit Suisse, em Zurique: empresa é investigada por ocultar contas de mais de 2 mil clientes

Foto: Reuters/Arnd Wiegmann

Promotores da Bélgica iniciaram uma investigação para saber se o Credit Suisse ajudou cerca de 2.650 belgas a ocultar suas contas das autoridades fiscais.

A investigação dos promotores federais está em fase de coleta de informações e nenhuma acusação foi feita, disse um porta-voz dos promotores nesta segunda-feira (24).

Leia também:
TikTok anuncia ação judicial nos EUA contra decreto de Trump
Com mão de obra 'barata', programas de trainee crescem 30% no 1º semestre

O inquérito diz respeito a contas mantidas entre 2003 e 2014 sobre as quais promotores belgas receberam informações no ano passado de autoridades francesas, que também conduziram suas próprias investigações sobre o banco e os clientes franceses.

O porta-voz disse que o caso envolve até 2.650 clientes belgas, embora alguns já possam ter declarado seus fundos às autoridades fiscais.

"Cumprimos estritamente todas as leis, regras e regulamentos aplicáveis nos mercados em que operamos", disse o Credit Suisse em uma resposta por email a um pedido de comentário sobre a investigação.

O banco deseja fazer negócios com clientes que pagam seus impostos e declaram integralmente seus ativos, afirmou a empresa. 

Os bancos suíços enfrentaram investigações semelhantes em vários países na última década, depois que o país foi forçado a abandonar sua tradição de sigilo bancário.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook