Lucro da Xiaomi cresce no 2° tri com impulso de vendas de smartphones premium

A receita cresceu 3,1% no trimestre encerrado em 30 de junho, com as vendas subindo para 53,54 bilhões de iuanes (US$ 7,77 bilhões), superando as expectativas

David Kirton e Josh Horwitz, da Reuters
26 de agosto de 2020 às 14:46 | Atualizado 26 de agosto de 2020 às 14:47

Consumidor usa smartphone em frente a loja da Xiaomi

Foto: Reuters/Valentyn Ogirenko

As vendas para o exterior da Xiaomi voltaram aos níveis pré-pandêmicos, disse seu vice-presidente financeiro nesta quarta-feira (26), ao anunciar que o lucro mais que dobrou no segundo trimestre devido ao forte crescimento em seu negócio de smartphones premium.

A receita cresceu 3,1% no trimestre encerrado em 30 de junho, com as vendas subindo para 53,54 bilhões de iuanes (US$ 7,77 bilhões), superando as expectativas de analistas.

Leia também:
Por que a Ant, fintech do Alibaba, deve ter o maior IPO da história?
Vale inaugura primeiro centro de moagem de minério na China

A receita geral da unidade de smartphones da empresa, que responde por quase dois terços de sua receita, caiu 1,2%, para 31,6 bilhões de iuanes. A Xiaomi vendeu 28,3 milhões de dispositivos no trimestre, ante 32,1 milhões no ano anterior.

No entanto, as vendas de smartphones premium nos mercados internacionais aumentaram 99,2% em relação ao ano anterior, com os preços médios de venda aumentando 11,8% no período.

"Isso mostra que nossos smartphones alcançaram um grande avanço no segundo trimestre", disse Wang Xiang, CFO da Xiaomi, em teleconferência.

O smartphone de última geração da empresa teve um "crescimento explosivo" na Europa, onde seus envios de smartphones aumentaram 64,9%, disse Wang.

O lucro cresceu 129,8%, para 4,49 bilhões de iuanes.

A Xiaomi relatou um lucro líquido ajustado de 3,37 bilhões de iuanes, superando a estimativa média do mercado de 2,24 bilhões de iuanes, de acordo com dados da Refinitiv.

A Xiaomi tem confiado cada vez mais em mercados internacionais, como a Índia, para impulsionar o crescimento, enquanto enfrenta a concorrência da Huawei, líder de mercado na China.

A receita da empresa nos mercados externos cresceu 10% ano a ano no segundo trimestre, respondendo por 44,9% de sua receita total.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook