Ações da Biosev sobem com possível venda da operação para Raízen

Estaria sendo negociada a reestruturação da dívida, com uma possível extensão dos pagamentos de R$ 7,3 bilhões em débitos da Biosev

Natália Flach, do CNN Brasil Business, em São Paulo
10 de setembro de 2020 às 12:58 | Atualizado 10 de setembro de 2020 às 13:47
Cana de açúcar: Biosev, subsidiária da Louis Dreyfus Holding, tem mantido tratativas preliminares com a Raízen
Foto: REUTERS/Paulo Whitaker

As ações da Biosev, subsidiária de açúcar da Louis Dreyfus Holding, são negociadas em alta nesta quinta-feira (10), depois que a companhia confirmou que mantém negociações iniciais para possível venda de sua operação para a Raízen Energia, joint venture da Shell e Cosan. Às 12h30, os papéis subiam 11,82%. 

Para Fernando Bresciani, analista da Mirae, a notícia é neutra e vai depender dos valores envolvidos se a negociação for adiante. "A Biosev tem um passivo financeiro elevado e necessita de investimento no seu canavial e em sua estrutura operacional", escreve em relatório.

Em fato relevante, a Biosev confirma que tem mantido tratativas preliminares com a Raízen que poderão, eventualmente, resultar em uma combinação de seus negócios. "Ainda, a Biosev confirma que iniciou discussões com certos bancos credores sobre possível readequação de parte de seu endividamento", disse o comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários.

Leia também:

Raízen aprova em assembleia emissão de R$ 1,25 bilhão em debêntures
Companhia suspende vendas de gasolina de aviação após alerta da Petrobras

Estaria em cima da mesa uma reestruturação da dívida que veria uma possível extensão dos pagamentos de R$ 7,3 bilhões (US$ 1,4 bilhão) em débitos da Biosev em troca de a Dreyfus pagar parte dela antecipadamente, disseram fontes à Bloomberg em condição de anonimato.

No entanto, a Biosev enfatizou que, até a presente data, não há qualquer acordo ou proposta vinculante acerca de potencial transação com a Raízen, nem mesmo aprovação corporativa para sua realização, ou definição sobre as estruturas a serem eventualmente adotadas tanto para eventual transação como para a readequação do endividamento da Biosev.

"Nessa linha, ressaltamos que não há qualquer garantia sobre a efetivação de qualquer transação entre Biosev e Raízen ou da readequação do endividamento da companhia junto aos bancos credores", acrescentou.

Em junho, a Raízen Energia aprovou em assembleia duas emissões de debêntures, totalizando cerca de R$ 1,25 bilhão, para captação de recursos que serão utilizados em investimentos na operação.

Com Reuters

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook