Procon vai agir a partir da semana que vem contra alta dos preços em alimentos

"Por um lado é bom para nossa balança comercial, mas o consumidor não tem nada a ver com isso e não pode ser prejudicado", disse Fernando Capez

Estadão Conteúdo
10 de setembro de 2020 às 13:09 | Atualizado 10 de setembro de 2020 às 14:44

Prato de arroz: presidente do Procon afirma que ficará de olho em aumentos expressivos de preços

Foto: Pille-Riin Priske/Unsplash

O presidente da Fundação Procon – de defesa dos direitos do consumidor – em São Paulo, Fernando Capez, afirmou que a instituição irá agir a partir da próxima semana a respeito do aumento súbito e expressivo no preço de itens da alimentação básica.

"Sabemos que é uma questão macroeconômica, ligada à alta do dólar e a facilitação da exportação. Por um lado é bom para nossa balança comercial, mas o consumidor não tem nada a ver com isso e não pode ser prejudicado", afirmou Capez em vídeo compartilhado pelos canais da fundação.

Leia também:
Por que o arroz está tão caro? Saiba os motivos da alta do preço da cesta básica
Não é só o arroz: dólar e home office deixam TV, game e até livro mais caros

Segundo Capez, será realizada nesta quinta-feira, 10, reunião com a Secretaria estadual da Agricultura, a Associação de Supermercados e produtores.

O encontro terá como foco discutir os preços de itens da alimentação básica como carne, leite, ovos, arroz, feijão e óleo.

Na quarta, 9, o governador do Estado, João Doria (PSDB), disse que o governo está preocupado com a questão dos preços de produtos da cesta básica e afirmou que havia solicitado a Capez a análise cuidadosa da questão.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook