Justiça dos EUA barra empréstimos de US$ 2,45 bilhões à Latam

"A decisão é ruim para a Latam pois requer que consiga aprovar novos termos para um novo financiamento DIP num momento em que o acesso a capital é urgente"

Estadão Conteúdo
11 de setembro de 2020 às 08:25

Avião da Latam Airlines no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo

Foto: Nacho Doce - 19.dez.2017/ Reuters

A Justiça americana não autorizou o financiamento que a Latam esperava receber de acionistas e investidores. Em recuperação judicial nos EUA desde maio, a companhia havia fechado empréstimos de US$ 2,45 bilhões com a Oaktree Capital Management (especializada em investimento de risco), com a Qatar Airways e com as famílias acionistas Cueto (chilena) e Amaro (brasileira).

O negócio foi feito no modelo DIP, em que o credor que concede o financiamento tem prioridade de receber perante outros.

Leia também:
Azul tem aumento no tráfego em agosto, mas ainda registra queda de 69% no ano
Gol encerra agosto com R$ 2,1 bilhões em liquidez total e ações sobem

A Latam pode recorrer da decisão, mas sua situação se complica conforme o tempo passa. O grupo passa dificuldades desde o início da pandemia por causa da queda de demanda no setor aéreo. "A decisão é ruim para a Latam pois requer que recorra ou consiga aprovar novos termos para um novo financiamento DIP num momento em que o acesso a capital é urgente. Isso pode prejudicar a saúde financeira da empresa no curto e médio prazo" disse o advogado Felipe Bonsenso.

Na decisão o juiz James Garrity Jr, da corte de falência de Nova York, não concordou com o mecanismo de conversão de ações para pagamento do empréstimo à Qatar e às famílias. A Latam disse estar avaliando a sentença.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook