Cerca de 11 mil empregados devem deixar a Petrobras até o fim de 2021, diz CEO

O número, que representa cerca de um quarto da mão de obra da petroleira, supera a marca de 10 mil funcionários estimada a aderir aos planos de demissão

Reuters
17 de setembro de 2020 às 21:25
Funcionários na plataforma P-50, da Petrobras: plano de demissão voluntária 
Foto: REUTERS/Bruno Domingos

Aproximadamente 11 mil empregados da Petrobras aceitaram planos de demissão e vão deixar a companhia neste ano ou no próximo, disse o presidente da estatal, Roberto Castello Branco, em um evento online nesta quinta-feira (17).

O número, que representa cerca de um quarto da mão de obra da petroleira, é levemente superior à marca de 10 mil funcionários que Castello Branco disse em julho que deixariam a empresa.

Leia também:
Petrobras: oferta de troca de títulos ultrapassa US$ 4 bilhões
Ouro Preto tem aval do Cade para comprar fatia da Petrobras em campos no RN

Mais cedo, a companhia informou que concluiu com sucesso testes que permitirão uma expansão de 50% na capacidade de seu terminal de regaseificação de gás natural liquefeito (GNL) da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, para 30 milhões de metros cúbicos por dia, disse a empresa nesta quinta-feira.

A estatal afirmou que está em processo de obtenção de licenças e autorização do governo para ampliar a capacidade do terminal.

O terminal é utilizado para converter de volta para a forma gasosa o gás natural importado pelo Brasil em versão liquefeita, em processo conhecido como regaseificação.

O Brasil está expandindo suas instalações de GNL para se aproveitar dos preços baixos no mercado internacional.

Os testes concluídos pela Petrobras fazem parte de requisitos do Instituto Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro (Inea) e da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A Petrobras não especificou o cronograma para conclusão dos processos de obtenção das licenças.

Atualmente, o terminal da empresa na Baía de Guanabara possui capacidade para processar 20 milhões de metros cúbicos por dia de gás, através de uma unidade flutuante de armazenamento e regaseificação ("floating storage and regasification unit", ou FRSU, em inglês).

O terminal consiste em um píer tipo ilha com dois berços para atracação e amarração de um navio FSRU e de um navio supridor, disse a companhia.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook