BCE: Desemprego na zona do euro deve continuar a aumentar

A taxa atual não captura totalmente o impacto da pandemia do novo coronavírus e os dados são impactados por esquemas de subsídio ao emprego

Do Estadão Conteúdo
24 de setembro de 2020 às 08:21

Foto: Regis Duvignau/Reuters

O desemprego continuará a aumentar na zona do euro e há pouco espaço de alta na demanda por bens de consumo mesmo que a economia se recupere da recessão sem precedentes, disse o Banco Central Europeu em boletim econômico nesta quinta-feira (24).

Este número deve aumentar já que a taxa atual não captura totalmente o impacto da pandemia de coronavírus e os dados são impactados por esquemas de subsídio ao emprego, disse o BCE em um boletim que reflete amplamente as projeções econômicas e decisões de política monetária do BCE de 10 de setembro.

Leia também:
Pnad Covid: taxa de desemprego é a mais elevada desde início da pesquisa em maio
Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA caem, mas permanecem em níveis elevados

"Olhando à frente, há poucos sinais de dinamismo na demanda por bens de consumo", disse o BCE. "Embora a queda na renda das famílias tenha sido limitada, a taxa de poupança deve ter subido com força."

O banco também repetiu sua antiga postura de que está pronto para ajustar todos os seus instrumentos conforme necessário para elevar a inflação.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook