Órama disponibiliza selo ESG para fundos; há produtos a partir de R$ 100

Dos mais de 600 produtos disponíveis na plataforma, quatro receberam a distinção inicialmente

Do CNN Brasil Business, em São Paulo
19 de outubro de 2020 às 15:12 | Atualizado 19 de outubro de 2020 às 15:17
Mercado olha cada vez mais para empresas e papéis com boas práticas de governança e ambientais
Foto: Shutterstock

A Órama criou e vai conceder, a partir desta segunda-feira (19), um selo ESG (em português, Ambiental, Social e Governança) para fundos de investimento que estão disponíveis na plataforma e contam com produtos que estão alinhados a estes propósitos.

Essa seleção é feita com base na avaliação dos critérios adotados pelos próprios gestores dos papéis, muitos deles aderentes a compromissos como o PRI (Principles for Responsible Investment), GSIA (Global Sustainable Investment Alliance), em linha com os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável).

Leia também:
Procon notifica Nubank e Mercado Pago por cadastros do Pix sem permissão
Alibaba investe US$ 3,6 bi para controlar supermercadista em disputa contra a JD
Santander eleva a régua da sustentabilidade e aumenta rigor em seu fundo de ESG

“Nossa ideia é estimular que outros fundos também adotem práticas ESG para que essa lista cresça. É muito gratificante liderar uma iniciativa como esta, pois é uma tendência mundial e um caminho sem volta”, afirma Habib Nascif Neto, CEO da plataforma de investimentos.

Dos mais de 600 produtos disponíveis na plataforma, quatro receberam a distinção inicialmente. O SulAmérica Total Impacto FIA, por exemplo, é um fundo de ações, tem investimento mínimo de R$ 100 e liquidez diária, podendo ser uma opção para investidores menos capitalizados. Ele rendeu 5,70% no mês, mas tem performance negativa no ano.

Já para investidores qualificados, há por exemplo o fundo multimercado Empírica Vox Impacto FIC FIM CP. Seu investimento mínimo é de R$ 25 mil, tem liquidez de D+120 e rendeu 116% sobre o CDI em 2020 e 111% nos últimos doze meses.

Simultaneamente, ocorre também o lançamento da carteira de fundos ESG recomendada pela casa. “Devido às características dos produtos que receberão o selo, a carteira é adequada ao investidor qualificado e com horizonte de longo prazo. A nossa primeira carteira terá mínimo de investimento de R$ 35 mil”, destaca Sandra Blanco estrategista-chefe da Órama.

“No Brasil, ainda são poucas as alternativas de investimentos sustentáveis ou ESG, voltadas para obter resultados de caráter socioambiental, para o público em geral. Todavia, será excelente acessar novas opções para diversificar e aumentar os retornos neste ambiente de juros baixos”.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook