São Paulo anuncia R$ 6 bilhões para recuperar e expandir malha ferroviária

Concessão a cargo do grupo Rumo Logística prevê gerar 134 mil empregos diretos e indiretos, beneficiar 70 municípios e dobrar capacidade de transporte

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo
19 de outubro de 2020 às 14:30
Expansão da malha ferroviária anunciada pelo governo de SP
Foto: Divulgação/ Governo de SP

O governo de São Paulo anunciou investimentos de R$ 6 bilhões na recuperação e expansão da malha ferroviária do estado. Em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, o governador João Doria (PSDB) disse que a medida faz parte do plano Retomada 21/22, anunciado na sexta-feira (16) para impulsionar a economia do estado.

“É a maior ampliação do transporte ferroviário do estado de São Paulo dos últimos 50 anos e é o primeiro grande anúncio do plano de retomada da economia 21/22. Estão previstas duplicações, reativações de trechos inativos, ampliação de pátios e modernização total da ferrovia”, disse Doria.

De acordo com o governador, os investimentos na malha ferroviária vão gerar 134 mil empregos diretos e indiretos ao longo da concessão, que ficará a cargo do Grupo Rumo Logística.

Assista e leia também:
SP apresenta plano de retomada econômica de R$ 36 bi e promete trem até Campinas
Vacina Coronavac apresenta baixa taxa de reação adversa, diz governo de SP
Pró-Brasil prevê R$ 1,8 bilhão do governo em ferrovias até 2022

“A malha paulista, com investimento de R$ 6 bilhões, vai não só aumentar sua capacidade, mas recuperar ramais, fazer investimentos em uma série de municípios e também transformar essa em uma das ferrovias mais eficientes do país”, afirmou o CEO da Rumo Logística, João Alberto Abreu.

Ele afirmou ainda que a concessão resultará em benefícios para mais de 70 municípios paulistas, com obras como viadutos, passarelas, pontes.

“Estamos duplicando parte da operação, ampliando uma série de pátios ferroviários, recuperando ramais. Com esses investimentos, a capacidade de movimentação, que hoje está em 35 milhões de toneladas, dobrará para mais de 70 milhões de toneladas.”