3º tri do Twitter: receita cresce apesar de número decepcionante de usuários

A receita de anúncios no terceiro trimestre cresceu 15%, para US$ 808 milhões, superando as estimativas de US$ 645,95 milhões

Sheila Dang, da Reuters
29 de outubro de 2020 às 18:05 | Atualizado 29 de outubro de 2020 às 18:06

Aplicativo do Twitter: número de usuários ativos decepcionou no terceiro trimestre, mas surpresa positiva com a receita pode acalmar os investidores da empresa

Foto: Mike Blake/Reuters (22.jul.2019)

O Twitter ganhou menos usuários do que Wall Street esperava no trimestre passado, embora tenha superado as expectativas para a receita, conforme dados divulgados nesta quinta-feira.

A empresa de mídia social com sede em San Francisco disse que teve 187 milhões de usuários ativos diários monetizáveis (mDAU) durante o terceiro trimestre, aquém das expectativas dos analistas de 195,2 milhões de usuários, de acordo com dados da Refinitiv. No trimestre anterior, eram 186 milhões.

Leia também:
Facebook tem lucro de quase R$ 8 bi no trimestre, mas cita incertezas
Apple vê vendas superarem previsões com impulso de Macs e Apple Watch

A receita total do Twitter cresceu 14% ano a ano, para US$ 936 milhões de dólares, durante o trimestre encerrado em 30 de setembro, superando as estimativas dos analistas de US$ 777,15 milhões.

O crescimento foi ajudado por formatos de publicidade atualizados, medição de anúncios aprimorada e o retorno de eventos que foram interrompidos devido à pandemia, disse o diretor financeiro do Twitter, Ned Segal.

A receita de anúncios no terceiro trimestre cresceu 15%, para US$ 808 milhões, superando as estimativas de US$ 645,95 milhões.

Os custos e despesas cresceram 13% em relação ao mesmo período do ano passado para US$ 880 milhões, já que a empresa gastou mais com infraestrutura.

O Twitter disse que espera que seus custos e despesas cresçam perto de 20% ano a ano no atual trimestre, uma aceleração em relação à taxa no terceiro trimestre.

A empresa disse que espera que as tendências de receita possam continuar ou mesmo melhorar no trimestre atual, mas alertou que é difícil prever como os anunciantes reagirão com a aproximação da eleição presidencial dos Estados Unidos em 3 de novembro, e que pode haver uma pausa nos gastos com publicidade.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook