Amazon triplica o lucro e tem resultado acima do esperado

A Amazon previu vendas líquidas na faixa de US$ 112 bilhões a US$ 121 bilhões para o quarto trimestre

Akanksha Rana, da Reuters*
29 de outubro de 2020 às 17:41 | Atualizado 29 de outubro de 2020 às 18:12
Caixa de encomenda da Amazon
Foto: Mike Segar/REUTERS

A receita de terceiro trimestre da Amazon.com superou as estimativas de Wall Street e a gigante do comércio eletrônico divulgou projeções para o quarto trimestre acima do esperado pelo mercado.

Os serviços em nuvem da Amazon também viram uma forte demanda, à medida que as empresas mudaram para escritórios virtuais em meio aos impactos da pandemia. A receita da Amazon Web Services (AWS) aumentou 29%, para US$ 11,60 bilhões.

Leia também:
AliExpress quer popularizar o '11.11' no Brasil, mas logística ainda é desafio
O que esperar dos resultados da Amazon: virá novo lucro recorde?

A Amazon previu vendas líquidas na faixa de US$ 112 bilhões a US$ 121 bilhões para o quarto trimestre. Analistas esperavam, em média, receita de 112,32 bilhões de dólares, de acordo com dados da Refinitiv.

As vendas líquidas da Amazon no terceiro trimestre aumentaram para US$ 96,15 bilhões, de US$ 69,98 bilhões um ano antes, superando as estimativas de US$ 92,70 bilhões dos analistas, segundo a Refinitiv.

Já o lucro líquido foi de US$ 6,3 bilhões, ou US$ 12,37 por ação, o triplo dos US$ 2,1 bilhões registrados em igual período do ano passado. Em termos ajustados, o ganho por ação ficou em US$ 12,37, bem acima da expectativa de analistas consultados pela FactSet, de US$ 7,41.

A receita operacional, por sua vez, somou US$ 6,2 bilhões, uma alta em relação aos US$ 3,2 bilhões de julho a setembro de 2019.

"Estamos vendo mais consumidores do que nunca fazendo compras para os feriados do final do ano mais cedo, o que é sinal de que esta será uma temporada de festas sem precedentes", afirmou o CEO da companhia, Jeff Bezos. Após os resultados, a ação da Amazon caía 1,09% no after hours em Nova York, por volta das 17h20 (horário de Brasília).

(Com Estadão Conteúdo)

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook