Apple lança novo Mac com processador próprio a partir de US$ 999

O M1 também equipará o notebook MacBook Pro, que custará a partir de 1.299 dólares, e o Mac Mini, de 699 dólares e que vem sem monitor

Stephen Nellis, da Reuters
10 de novembro de 2020 às 16:44
 
Foto: Reuters/Leonhard Foeger


A Apple apresentou nesta terça-feira o novo Macbook Air e outros computadores equipados com o primeiro microprocessador próprio da empresa, o M1, marcando o início de seu afastamento dos chips da Intel.

A Apple disse em junho que começaria a equipar os Macs com seus próprios chips, após uma década já desenvolvendo processadores para iPhones, iPads e Apple Watches.

O MacBook Air terá preço inicial de 999 dólares, o mesmo que seu antecessor, e terá bateria com até o dobro de duração em relação a geração atual, disse a Apple. O M1 também equipará o notebook MacBook Pro, que custará a partir de 1.299 dólares, e o Mac Mini, de 699 dólares e que vem sem monitor.

O Mac Mini é voltado a engenheiros e cientistas por causa das capacidades de inteligência artificial do novo chip da Apple, afirmou a empresa. Os novos produtos estarão disponíveis a partir da próxima semana, disseram os executivos.

Leia também:
WhatsApp introduz função de mensagens temporárias
Xiaomi ganha participação no mercado de smartphones no 3° tri, mostra pesquisa

Os chips se baseiam na tecnologia de arquitetura de computação da Arm e são fabricados por parceiros externos, como a Taiwan Semiconductor Manufacturing, ou TSMC.

Os novos processadores "Apple Silicon" marcam um afastamento da Intel, cujos chips a Apple usa desde 2006, quando deixou de utilizar microchips da IBM. A Intel sofreu atrasos em suas operações de produção que levaram a empresa a ficar atrás da taiuanesa TSMC na fabricação de chips menores e mais eficientes no consumo de energia.

A eficiência energética - ou seja, obter o máximo de computação por watt de energia consumido - é um dos principais objetivos da Apple, afirmaram executivos.

"Normalmente, para obter um melhor desempenho, você precisa consumir mais energia", disse Johny Srouji, vice-presidente sênior de tecnologias de hardware da Apple, em evento que anunciou os chips. "Nosso plano é dar ao Mac um nível muito mais alto de desempenho e, ao mesmo tempo, consumir menos energia."

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook