Radar Político: Promessas de privatizações de Guedes são ‘cloroquina fiscal’

Falas do ministro da Economia lembram textos do economista Roberto Campos de 25 anos atrás, mas falta entregar resultados

Da CNN
11 de novembro de 2020 às 13:15

No quadro Radar Político, da CNN Rádio, desta quarta-feira (11), Caio Junqueira, Fernando Molica e Igor Gadelha analisam a declaração do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que o país poderia voltar para a hiperinflação não resolver a questão da dívida pública.

“Eu conversei com o Guedes hoje e ele tentou explicar suas declarações. Nas palavras dele, foi apenas um alerta de que é preciso tentar destravar as privatizações no Brasil para usar o recurso da venda das estatais para abater a dívida pública do país”, disse Gadelha.

“O ministro também prometeu ‘derrubar a dívida pública em 2021’ por meio dos recursos das privatizações. Guedes diz que fez esse alerta porque quer retomar as privatizações e fez até uma nova promessa: privatizar quatro estatais até dezembro do ano que vem, a Eletrobras, os Correios, a PPSA e o Porto de Santos”, completou.

Para Molica, esse tipo de declaração o fez lembrar de textos do economista Roberto Campos.

Assista e leia também:
Exclusivo: Vamos derrubar dívida pública em 2021 com privatizações, diz Guedes
Daniela Lima: fala de Bolsonaro sobre EUA desvia atenção de problemas internos
'Estou frustrado por não termos vendido uma estatal em dois anos', diz Guedes

“Ele falava exatamente isso há 25 anos. São coisas velhas. A questão é que não faz nada, o Paulo Guedes está sempre retardando, jogando para o futuro. É uma espécie de cloroquina fiscal, uma solução que vai tirando da cartola e isso não se realiza”, afirmou.

“Enquanto isso, o Ipea divulgou a inflação por faixas de renda e, em outubro, para as famílias mais pobres voltou a subir quase 1% em um mês. O arroz aumentou 13%, de janeiro a outubro, 47,6%. O feijão aumentou 59,5%. É uma questão muito séria, é a vida real”, disse.

Por fim, Junqueira disse que o Planalto não estava tão atento às declarações de Guedes já que todas atençoes na terça-feira (10) e neste quarta estavam voltadas para a questão da Coronavac.

“A questão econômica ficou muito lateral. A questão da Anvisa, da vacina, foi o principal tema de ontem e de hoje”, disse. 

“O presidente estava muito mais focado nessa questão, ontem ele veio enervado com declarações polêmicas que repercutiram bastante.”

Igor Gadelha, Caio Junqueira e Fernando Molica comandam o Radar Político, na CNN Rádio
Foto: CNN Brasil