Serasa tem feirão que permite você limpar o seu nome pagando R$ 50

O 26º Feirão da instituição começou no dia 3 e vai até 30 de novembro – os descontos para as dívidas podem chegar em até 99%

Do CNN Brasil Business, em São Paulo*
10 de novembro de 2020 às 21:03
Moedas de real: com cinquenta moedas destas, você pode limpar o seu nome
Foto: Bruno Domingos/Reuters

Está com o nome sujo? Talvez, essa seja a hora para você refazer as suas contas e quitar as suas dívidas. Isso por que o Serasa continua com o 26º Ferião Serasa Limpa Nome e que permite você quitar as suas dívidas a partir de R$ 50. Esta iniciativa começou na última segunda-feira (9).

Porém, o 26º Feirão da instituição começou já no dia 3 e vai até o dia 30 de novembro. Os descontos para as dívidas podem chegar em até 99%.

De acordo com a empresa, há uma expectativa que até 64 milhões de pessoas sejam beneficiadas com o feirão. Detalhe: tudo pode ser feito pela internet. 

Leia também:
Serasa realiza novo Feirão Limpa Nome a partir desta terça (3)
Nath Finanças, Blogueira de Baixa Renda: Serasa lança curso com influenciadoras

Para participar o consumidor pode acessar um dos canais digitais da Serasa: site do Serasa Limpa Nome, WhatsApp e aplicativo. Nesta edição a negociação poderá ser feita em mais de 7 mil agências dos Correios em todo o Brasil. 

A ação permitirá ainda que, após a quitação da dívida, o consumidor tenha sua pontuação aumentada e assim obtenha melhores condições de crédito nas próximas compras.

Participam desta edição do feirão Limpa Nome as empresas Itaú, Banco do Brasil, Recovery, Claro, Santander, Vivo, Casas Bahia, Ponto Frio, Renner, Riachuelo, Pernambucanas, Avon, Bradesco, Carrefour, Porto Seguro, Ativos, Oi, Itapeva, Anhanguera, Sky, Credsystem, Banco BMG, Digio, Zema, Crefisa, Ipanema, Unopar, Hoepers, Tricard, Tribanco, Di Santinni, Calcard, Confiança, Algar, Unic, Fama, Pitágoras, Sorocard, Uniderp, Unime, Hipercard, Conect Car, Elmo, Tenda, Energisa, Cetelem, Havan, Quatro Estações, CPFL, RGE, PagBank, Light, Nosso Lar, Novo Mundo, Koerich, Kredilg e Cemig.

*com informações da Agência Brasil 

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook