Sueca Bambuser, de vendas online ao vivo, desembarca no Brasil

Empresa oferece uma tecnologia para shopstreaming — que une a apresentação de produtos em lives a uma ferramenta que permite a compra dos itens em tempo real

Fernando Scheller, do Estadão Conteúdo
19 de novembro de 2020 às 10:35

 

Foto: rupixen.com/Unsplash


A ferramenta de vendas online ao vivo Bambuser está desembarcando no Brasil. A companhia sueca, que fornece tecnologia para shopstreaming - que une a apresentação de produtos em "lives" a uma ferramenta que permite a compra dos itens em tempo real -, já atende a grandes marcas globais, como a gigante de tecnologia Samsung, a rede de moda H&M e a companhia de móveis e decoração Ikea.

Por aqui, fechou parceria com a empresa local F*hits, de Alice Ferraz, para oferecer a ferramenta a marcas locais. Embora hoje a Bambuser tenha 95% de seu negócio ligado às vendas digitais, a empresa nasceu em 2007 com outro propósito, conforme lembrou a CEO da companhia, Maryam Ghahremani.

Leia também: 
Varejistas que migraram para o online tiveram crescimento de 17% no tíquete médio
Dona da Kibon e Ben & Jerry's, Unilever mira no delivery de sorvetes

A executiva disse que a ferramenta foi criada para uso jornalístico, como uma tecnologia de simplificação de transmissões ao vivo.

"Os tempos de glória dessa fase foram durante a Primavera Árabe (entre 2010 e 2012), quando a Bambuser facilitou que o mundo visse a realidade daquela região."

Foi o e-commerce, no entanto, que tornou a empresa comercialmente viável. E a explosão do shopstreaming se deu justamente durante o isolamento social, por causa da pandemia de covid-19. Essa nova realidade fica transparente nos resultados da companhia no terceiro trimestre de 2020: as receitas dispararam quase 1.500%, em relação ao mesmo período de 2019.

A Bambuser também chamou a atenção dos investidores: desde o início da pandemia, atraiu US$ 34,5 milhões em aportes; no acumulado do ano, o total sobe para US$ 45 milhões.

Embora plataformas globais como Instagram e Facebook estejam criando plataformas para facilitar vendas online, a executiva da Bambuser explicou que o diferencial da ferramenta sueca é ser uma "bandeira branca" a serviço dos clientes. Isso quer dizer que, embora use a solução da Bambuser, o consumidor interage diretamente nos apps ou websites de suas marcas preferidas.

"E tem a questão de dados. Ao contrário do que acontece nessas empresas gigantes, todos os dados sobre o comportamento de compra ficam nas mãos das empresas. E essas informações são valiosas."

Estreia no Brasil

A chegada da Bambuser ao país coincide também com um momento de forte crescimento do e-commerce local, uma consequência direta da pandemia, que obrigou o fechamento das lojas físicas por vários meses.

"O mercado brasileiro viu um salto de 5 a 7 anos da noite para o dia", disse a CEO da Bambuser.

A F*hits, parceira local da ferramenta, já começou fazer os primeiros contatos com potenciais clientes locais. "É o casamento perfeito. Sempre quis fazer o atendimento 360 graus da compra online: da apresentação do produto, à consideração e finalmente à efetivação da compra", disse Alice Ferraz, fundadora e CEO da F*hits, conhecida no mercado brasileiro por reunir um total de 200 influenciadoras.

Esse time poderá produzir o conteúdo para marcas e transmiti-lo via Bambuser. "Há muitas marcas brasileiras que já têm muita influência, muitos seguidores. Agora, elas terão mais essa tecnologia para vender." Conforme mostrou reportagem do Estadão em setembro, a lista de companhias locais apostando no shopstreaming não para de crescer. Entre as marcas investindo nas lives de vendas estão Lojas Americanas, C&A e Nespresso.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook