Papete está na moda? Rider decide voltar com as polêmicas sandálias

A partir deste mês, estarão disponíveis no mercado seis novos modelos de sandálias, todos indicados para quem busca o conforto

Wesley Santana, colaboração para o CNN Brasil Business
20 de novembro de 2020 às 17:50 | Atualizado 20 de novembro de 2020 às 18:09
Modelo de papete da Rider: alguns gostam, outros odeiam
Foto: Rider/Divulgação

Apesar de todas as controvérsias que o uso de papetes causou na década passada, parece que esse modelo de sandália está de volta. Pelo menos é o que a Rider, marca da fabricante de calçados Grendene (GRND3), pretende com a volta das "polêmicas" papetes – vistas por uns como confortáveis e, por outros, como um atentado ao bom gosto.  

A partir deste mês, estarão disponíveis no mercado seis novos modelos de sandálias, todos indicados para quem busca o conforto. A linha Comfy and cool (confortável e legal, em português) tem um design autêntico e que se adapta ao formato do pé de quem está usando. 

Leia também:
Os planos da Arezzo no pós-pandemia: Reserva, marketplace e brechó de luxo
Black Friday da Classe A: marcas de luxo dão desconto de até 70% no Iguatemi

De acordo com a marca, os produtos estarão em cores neutras e que promovem sensação de aconchego, combinando com os mais variados estilos e tipos de roupas.

“Hoje, a tendência comfort wear (roupa confortável), assume o seu posto de carro-chefe: são peças versáteis que garantem extremo conforto no atual cenário, além de injetar boas doses de estilo ao visual”, afirma a empresa. Não à toa, roupas despojadas como calças e blusas de moletom estão voltando aos armários. 

Menor impacto ambiental

Além dos novos modelos de papetes, recentemente, a marca relançou uma coleção de chinelos, agora tendo como base a sustentabilidade. A Linha R4 – Recriando o Futuro foi concebida a partir de 4 conceitos: reduzir, reutilizar, reciclar e recriar. 

 
Foto: Rider/Divulgação

Assim, os produtos são produzidos com base no veganismo, sem utilização de material ou componente de origem animal; com menor impacto ambiental, usando matéria-prima que permite reciclagem; em uma produção ecoeficiente, em fábricas que utilizam energia renovável; e com trabalho justo, garantindo condições apropriadas aos funcionários. 

“Acreditamos no poder transformador do Design. A inovação sempre esteve em nosso DNA. Por isso, decidimos recriar nossos produtos ícones para uma nova versão de menor impacto ambiental do que já temos hoje”, diz Carlos André Carvalho, gerente de desenvolvimento sustentável da Grendene. 

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook