Tesouro faz emissão de US$ 2,5 bilhões em títulos no exterior


Idiana Tomazelli e Adriana Fernandes, do Estadão Conteúdo
02 de dezembro de 2020 às 19:40 | Atualizado 02 de dezembro de 2020 às 19:43
Notas de dinheiro
Novas emissões do Tesouro foram feitas apesar do crescimento das incertezas em relação ao país
Foto: USP Imagens

O Tesouro Nacional emitiu US$ 2,5 bilhões em três tipos de bônus soberanos em dólar nesta quarta-feira, 2. 

Apesar do crescimento das incertezas em relação ao país, todas as taxas de retorno asseguradas aos investidores ficaram abaixo do que foi pago pelo governo brasileiro quando esses papéis foram emitidos pela primeira vez, em novembro do ano passado (no caso do bônus de 30 anos) e junho deste ano (demais papéis).

Leia também: 
Há chance real de o Tesouro não conseguir pagar seus investidores e dar calote?
'Risco fiscal': O que é o temor que está fazendo dólar e juros dispararem

O Tesouro aproveitou uma das últimas janelas do ano para operações de venda de títulos do mercado internacional e conseguiu uma demanda de US$ 8,5 bilhões dos investidores na oferta de hoje.

Segundo fontes envolvidas na operação, dado que a liquidez tende a reduzir após a primeira semana de dezembro, o momento da operação de hoje foi importante. A operação foi considerada uma "reabertura tática de títulos já existentes".

A emissão foi feita com a reabertura de papéis com vencimento em cinco anos (Global 2025), 10 anos (Global 2030) e 30 anos (Global 2050).

O Tesouro emitiu US$ 500 milhões do Global 2025, com um retorno de 2,200% ao investidor (ante um yield de 3,000% na emissão de junho).

A operação de hoje resultou em um spread de 177,9 pontos-base acima da treasury (título do Tesouro norte-americano) e preço de 102,873% do seu valor de face. O cupom de juros de 2,875% será pago semestralmente, nos dias 6 de junho e 6 de dezembro de cada ano, até o vencimento em 6 de junho de 2025.

Para o Global 2030, o governo emitiu US$ 1,25 bilhão, com um retorno de 3,450% (ante um yield de 4,000% pago na emissão de junho).

A operação de hoje resultou em um spread de 250,1 pontos-base acima da treasury e preço de 103,421% do seu valor de face. Os cupons de juros de 3,875% serão pagos nos dias 12 de junho e 12 de dezembro de cada ano, até o vencimento em 12 de junho de 2030.

Já no Global 2050, o Tesouro emitiu US$ 750 milhões, com uma taxa de retorno de 4,500% (contra um yield de 4,914% na emissão de novembro de 2019).

A colocação de hoje resultou em um spread de 279,2 pontos-base acima da treasury e preço de 103,995% do seu valor de face. Os cupons de juros de 4,750 % a.a. serão pagos nos dias 14 de janeiro e 14 de julho de cada ano, até o vencimento em 14 de janeiro de 2050.

A operação foi liderada pelos bancos Citibank, Santander e Scotia Bank. A liquidação financeira ocorrerá em 8 de dezembro de 2020.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook