Morre o empresário Darcy Miolo, fundador da Miolo Wine Group, aos 79 anos

Darcy Miolo foi agricultor na juventude e, antes de se dedicar às uvas, trabalhou com outras commodities, como o milho

Raphael Coraccini, colaboração para o CNN Brasil Business, em São Paulo
21 de dezembro de 2020 às 12:33
Empresário Darcy Miolo, fundador da Miolo Wine Group
Foto: Divulgação/Emerson Ribeiro

Um dos maiores empresários do setor de vinhos brasileiros, Darcy Miolo morreu neste domingo, aos 79 anos. Era fundador e presidente do Conselho de Administração da Miolo Wine Group. Segundo a família, ele faleceu de causas naturais. 

Darcy deixa a esposa e cinco filhos. A previsão é de que o sepultamento aconteça na tarde desta segunda-feira (21) na cidade onde a família se estabeleceu no Brasil, em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul.

Leia também:

Vinhos e espumantes por menos de R$ 100 para comemorar as festas de final de ano
Fim do mistério: nos 40 anos do Chester, empresa divulga fotos do animal vivo

Darcy Miolo foi agricultor na juventude e, antes de se dedicar às uvas, trabalhou com outras commodities, como o milho. O empresário chegou a trabalhar como caminhoneiro antes de construir seu império de vinhos, que teve sua primeira produção em 1990. 

Sua trajetória no mundo das uvas finas e dos vinhos começou nos anos 1970, em Bento Gonçalves. A família, de origem italiana, vendia uvas finas como Cabernet Franc, Sémillon e Merlot para empresas como a Martini & Rossi, hoje parte do grupo Baccardi Martini. Depois, a Miolo ampliou sua produção com as uvas Riesling, Chardonnay e Cabernet Sauvignon. 

No final dos anos 1980, porém, com as grandes empresas de vinho deixando de comprar dos agricultores brasileiros, Darcy resolveu produzir suas próprias bebidas. O negócio custou a engrenar. Apenas entre 1994 e 1995, a família Miolo começou a comercializar seus vinhos. 

Nos anos 2000, a produção foi intensificada depois da aquisição de terras em outras cidades do interior do Rio Grande do Sul, como Bagé e Candiota. No começo da década seguinte, a empresa já era dona de 1.150 hectares de vinhedos e atingiu faturamento de R$ 124 milhões com a produção de 12 milhões de litros de vinhos finos por ano. 

Hoje, a Miolo está voltada para a exportação, e a capacidade produtiva das quatro vinícolas do grupo soma 10 milhões de litros por ano, numa área cultivada de vinhedos próprios com aproximadamente 1.000 hectares, um pouco menos do que produzia no começo da década. 

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook