Entenda como melhorar a sua nota de crédito e obter juros menores em 2021

Uma das formas é através do score, ele considera contas pagas ou não pagas, a frequência com que o cliente entra no cheque especial e até dívidas renegociadas

CNN Brasil Business
30 de dezembro de 2020 às 07:00
Podcast O Que Eu Faço, com Santander
Foto: CNN Brasil 

O histórico do comportamento financeiro de um cliente conta, e muito, no momento de obter crédito em um banco ou em qualquer outra instituição. Uma das formas de conhecer esse histórico é por meio dos birôs de crédito e seus scores. 

O score nada mais é do que a pontuação atribuída por esses birôs, como o Serasa ou o SPC, que usam modelos estatísticos e técnicas para determinar quais as chances daquele cliente se tornar inadimplente. 
“O score é como se fosse a nota de crédito. Da mesma forma que tínhamos nossa nota de matemática, quando estávamos na escola, o score é uma nota que fala um pouco sobre como é nossa organização financeira”, explica Mariana Perez, CEO da emDia. 

 O score coloca tudo sobre a mesa: as contas pagas ou não pagas, a frequência com que o cliente entra no cheque especial e até as dívidas que foram renegociadas e atrasadas mais de uma vez. Pode parecer um pouco assustador, mas tem um lado muito positivo: a partir dele é possível ter mais controle sobre a vida financeira. 

Leia também:
Boa Vista tem R$ 1 bi para ir às compras e quer digitalizar a 'limpeza de nome'
Ibovespa sobe e supera recorde histórico durante o pregão; dólar recua
6 atitudes para avançar na carreira em 2021

“O score ajuda a entender como os bancos, as instituições financeiras, os varejistas e qualquer empresa veem como seria nossa nota de crédito”, explica Perez, que foi a entrevistada do novo episódio do podcast O que Eu Faço?. Por isso, a dica dela é ficar de olho nessa pontuação ao menos a cada quinze para acompanhar a evolução ou queda do score e, quando necessário, correr atrás do prejuízo. 

A CEO do emDia também explica que não existem tipos de pagamentos que contam mais ou menos na hora dos birôs calcularem a pontuação. A conta do cartão de crédito não é necessariamente mais importante que a de água, por exemplo. Por outro lado, deixar de pagar contas mais caras pode ter um impacto maior no score.

Na prática, essa pontuação menor nem sempre significa que uma pessoa terá seu acesso a crédito negado, mas muitas vezes as taxas serão maiores. “Se o seu score está acima do 800, no verde, a chance de você ter uma taxa baixa é enorme”, aponta Perez. 

O score, vale lembrar, vai do zero ao mil, e pode oscilar conforme a pessoa se torna inadimplente ou quita dívidas antigas. Isso significa que um comportamento financeiro ruim no passado não necessariamente continuará impactando a pontuação para sempre. 

Veja também:
Ouça todos os episódios do podcast 'O que eu faço?'

Mariana Perez explica que “o score leva em consideração o hoje e o ontem, mas o hoje é mais importante. Então conforme você for trazendo novas experiências, novos históricos de pagamento, isso vai aumentando seus pontos”.

Essas e outras dicas sobre como funciona o score de crédito e como fazer dele um aliado estão no novo episódio o O que Eu Faço?, podcast de finanças da CNN Brasil apresentado por Fernando Nakagawa e Luciana Barreto.