Ritmo de concessão de crédito deve cair pela metade em 2021, estima Febraban

A projeção está ligeiramente acima do prognóstico anterior, de novembro, de crescimento de 6,8%

Reuters
04 de janeiro de 2021 às 11:29 | Atualizado 04 de janeiro de 2021 às 12:09

 

Dinheiro
Economias em moeda
Foto: Josh Appel / Unsplash

A carteira total de crédito no Brasil deve crescer 7% em 2021, segundo expectativas dos bancos compiladas na Pesquisa Febraban de Economia Bancária, realizada entre 17 e 21 de dezembro e divulgada nesta segunda-feira (04).

A projeção está ligeiramente acima do prognóstico anterior, de novembro, de crescimento de 6,8%, com a Federação Brasileira de Bancos observando um processo de normalização da demanda por crédito no país.

Leia também:
Brasil importa 11 vezes mais que exporta seringas e agulhas
A pandemia não acabou. Mas você pode progredir em sua carreira em 2021
6 atitudes para avançar na carreira em 2021

Ainda assim, mostra desaceleração ante 2020, uma vez que a pesquisa da Febraban também mostrou melhora na projeção para o crescimento da carteira total do ano passado, para 13,7%, de 11,8% na apuração de novembro.

"Em 2020, o crédito foi o grande muro de contenção para evitar o colapso da economia e a pesquisa confirma que em 2021 as concessões tendem a continuar estimulando a atividade", afirmou o presidente da Febraban, Isaac Sidney, em nota.

Ele acrescento que a avaliação mais positiva da pesquisa reflete a melhora do desempenho esperado para a carteira com recursos livres.

De acordo com a pesquisa da Febraban, a expansão do crédito em 2021 será liderada pelo segmento livre, que deve registrar crescimento na faixa de 9,6%, com 9,9% para pessoas físicas e 9,2% nas concessões para as empresas.

O crédito direcionado deve mostrar crescimento de 3,4%, em particular no segmento de empresas, uma vez que a expectativa de consolidação do mercado de capitais deve contribuir para redução da necessidade de recursos por parte das empresas.

Ainda conforme o levantamento, a taxa de inadimplência esperada para a carteira livre em 2021 recuou de 4,3% para 4%.