Hapvida propõe fusão com a Intermédica, o que criaria uma empresa de R$ 100 bi

Irlau Machado, atual CEO da NotreDame Intermédica continuaria no posto como CEO, mas acionistas da Hapvida teriam cinco assentos no conselho de administração

André Jankavski e Manuela Tecchio, do CNN Brasil Business, em São Paulo
08 de janeiro de 2021 às 16:35 | Atualizado 08 de janeiro de 2021 às 17:08
Hospital Hapvida
Hospital Eugênia Pinheiro, da Hapvida
Foto: Falcão Jr/Hapvida

 A Hapvida (HAPV3), por meio de fato relevante, anunciou que apresentou ao conselho de administração do Grupo Notredame Intermédica (GNDI3) uma proposta para potencial combinação dos negócios. Se consumada, segundo a empresa, os acionistas da Hapvida ficariam com 53,1% de participação na nova empresa, enquanto os da Intermédica ficaria com 46,9%.

Além disso, a Hapvida também propôs aumentar o número de conselheiros dessa nova empresa. Seriam nove, sendo dois indicados pela NotreDame, dois independentes e cinco indicados pela Hapvida.

Leia também:
Quem comprou ação no pior dia da crise ganhou até 466% em 2020; veja a lista
Ainda vale entrar na bolsa? Veja 8 ações recomendadas para 2021

Irlau Machado, atual CEO da NotreDame Intermédica continuaria no posto como CEO.  

As ações das empresas dispararam no pregão desta sexta-feira com rumores sobre a fusão. Por volta das 16h30, a Hapvida subia 19,58% e a Intermédica, por sua vez, 22,57%.

Caso sejam combinadas, darão origem a uma empresa com valor de mercado superior a R$ 100 bilhões e mais de 13 milhões de beneficiários e 55 hospitais. 

A empresa lembra que "a potencial transação estará sujeita à aprovação pelos órgãos de administração e pelas bases acionárias das duas companhias, bem como às aprovações regulatórias aplicáveis".