Morre Antônio Carlos Braga, empresário do setor financeiro e mecenas do esporte


Ligia Tuon, do CNN Brasil Business
12 de janeiro de 2021 às 17:50 | Atualizado 12 de janeiro de 2021 às 19:42
 Antônio Carlos de Almeida Braga
Foto: Reprodução / Youtube

Morreu nesta terça-feira (12), aos 94 anos, Antônio Carlos de Almeida Braga, empresário do setor financeiro e grande incentivador de esportistas no Brasil.

Braga faleceu em Portugal, onde morava desde o ano passado, mas a razão da sua morte não foi revelada por sua família, que disse apenas que sua saúde estava frágil.

Braguinha, como ficou conhecido por amigos e admiradores, foi dono da Atlântica Seguros, fundada pelo seu pai, e que se fundiu com a Bradesco Seguros nos anos 1980.

Na época, ele se tornou um dos principais acionistas do Bradesco e chegou a ocupar a presidência do conselho de administração da instituição, onde ficou até 1986.

O investidor tem um grande histórico de ajuda financeira a personalidades do esporte, como Pelé, Emerson Fittipaldi e Gustavo Kuerten. Também era amigo de Ayrton Senna.

Repercussão

Sobre o falecimento do empresário, o Pelé se manifestou por meio de sua assessoria de imprensa: "O Braguinha para mim foi como um pai em minha carreira. Que ele tenha paz".

Em nota de pesar, a Bradesco Seguros diz que a trajetória de vida e de sucesso de Braga se confunde com a do próprio mercado segurador brasileiro:

"Foi exemplo de dedicação pessoal e profissional às causas que abraçou, tendo sido também um apaixonado incentivador do esporte brasileiro, no qual deixou importante legado", diz. 

O Fluminense Football Club também lamentou o falecimento do empresário e decretou luto oficial de três dias. O time disse que fará um minuto de silêncio em homenagem ao empresário no jogo contra o Sport, sábado, no Nilton Santos.