Rezende: Sem política industrial, Brasil terá outras baixas como a da Ford

No quadro Liberdade de Opinião, Sidney Rezende repercutiu o anúncio da saída da Ford do Brasil, que fechará três fábricas no país

Da CNN, em São Paulo
12 de janeiro de 2021 às 11:37


No quadro Liberdade de Opinião desta terça-feira (12), Sidney Rezende comentou o anúncio da saída da Ford do Brasil, que deve afetar mais de 5 mil funcionários com o fechamento de três fábricas no país.

"É muito difícil trazer uma empresa [para o Brasil]. É muita conversa, incentivo e atração. E depois que ela se estabelece, é muito difícil ajudá-la a se manter também. O mercado tem que ajudar a empresa a sobreviver", avaliou Rezende.

Leia também:

Análise: Por que a Ford escolheu a Argentina em vez do Brasil
Ford alertou que questão tributária teria 'impacto adverso substancial' no país
Ford anuncia fim da produção de carros no Brasil e fechamento de três fábricas

"Não adianta fazer assim com o ombro, de 'ah menos uma empresa, tudo bem, outras estão vindo'. Não é bem assim. Se não tiver uma política industrial, e uma política de renda definida e previsível para mais adiante, que o Brasil não tem, nós teremos, infelizmente, outras baixas no setor industrial", completou o jornalista.

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Sidney Rezende no quadro Liberdade de Opinião
Foto: CNN Brasil (12.jan.2021)

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

(Publicado por Leonardo Lellis)