Brasil cria mais de 142 mil vagas com carteira assinada em 2020, diz Caged

O número é 77,8% menor do que o resultado do ano anterior. Também é o pior desde 2017, quando o saldo foi negativo em 20 mil vagas

Anna Russi, da CNN Brasil, em Brasília
28 de janeiro de 2021 às 10:38 | Atualizado 28 de janeiro de 2021 às 12:04

 

O mercado de trabalho formal brasileiro conseguiu superar a crise causada pela pandemia de Covid-19 e abriu 142.690 vagas de emprego com carteira assinada em 2020. O resultado confirma a previsão do ministro da Economia, Paulo Guedes, que vinha dizendo que o Brasil terminaria o ano com "perda zero de empregos".

Resultado de 15.166.221 admissões e 15.023.531 desligamentos, o número é 77,8% menor do que o resultado do ano anterior. Também é o pior desde 2017, quando o saldo foi negativo em 20 mil vagas. Os dados, divulgados pela Secretaria de Trabalho nesta quinta-feira (29), são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). 

Apesar do resultado positivo no ano, o último mês de 2020 interrompeu um ciclo de cinco meses de Caged positivo com o fechamento de 67.906 vagas formais de trabalho. Ainda assim, por ser melhor que as mais de 307 mil vagas fechadas em dezembro de 2019, a equipe econômica considera o resultado de dezembro como "mais um indício da recuperação acima das expectativas da economia brasileira". 

A avaliação ainda é reforçada pela sazonalidade de dezembro, que é, tradicionalmente, um mês com resultado negativo com a demissão de trabalhadores contratados para reforçar o atendimento às demandas que crescem no período das festas de fim de ano. No entanto, dezembro de 2020 foi o melhor desde 1995.

Setores 

Em 2020, o setor de serviços foi o único a registrar saldo de empregos negativo, sendo responsável pelo fechamento de 132.584. Vale destacar que serviços foi a atividade econômica mais afetada pelo distanciamento social, exigido pela pandemia. 

No lado positivo, o setor da construção liderou a alta, criando 112.174 vagas formais. Em segundo lugar, está a indústria, com 95.588 novos postos de trabalho. 

Já na análise mensal, o setor de comércio surpreendeu ao ser o único com saldo positivo em dezembro, gerando 62.599 empregos. 

Regiões

De acordo com o ministério da Economia, quatro das cinco regiões do país tiveram saldos positivos. A região Sul, liderou a criação de trabalhos formais, sendo responsável por 85.500 do total de 2020.

A região Sudeste perdeu 88.785 empregos puxada pelo estado do Rio de Janeiro, que sozinho fechou 127.155 vagas em 2020.