Fitch reafirma rating BB- da Petrobras, com perspectiva negativa

Os ratings da Petrobras são ligados aos ratings soberanos do Brasil, por causa da grande participação do governo na companhia

Matheus Andrade, do Estadão Conteúdo
16 de fevereiro de 2021 às 17:43
Sede Petrobras
Sede da Petrobras. Estatal brasileira afirma que está monitorando os preços do petróleo e suas ações têm queda de quase 24%
Foto: Sérgio Moraes/Reuters (09.Mar.2020)

 

A Fitch reafirmou nesta terça-feira, 16, o rating BB- da Petrobras, com perspectiva negativa. A agência informa em comunicado que manteve sua avaliação sobre o perfil de crédito "stand-alone" (risco intrínseco, ou SCP, na sigla em inglês) da empresa, em bbb, refletindo a estrutura de capital da companhia e a redução de dívidas.

Os ratings da Petrobras são ligados aos ratings soberanos do Brasil, por causa da grande participação do governo na companhia e seu controle potencial, bem como pela importância estratégica da empresa para o País, diz a Fitch. O panorama negativo para a empresa sobre moeda estrangeira também é aplicado ao Brasil.

 

O "potencial" retorno de uma interferência política mais forte na estratégia da Petrobras, por meio dos preços domésticos da gasolina e do diesel, afetaria negativamente a geração de fluxo de caixa da empresa e o SCP, na visão da Fitch. O fator é particularmente relevante em tempos de desvalorização do real em relação ao dólar, o que aumenta os preços dos combustíveis, e o risco de interferência, avalia.

Por sua vez, a Fitch aponta que a estratégia foi utilizada em 2018, devido à "volatilidade" dos preços e pressão social, mas não se repetiu em 2019 e 2020.