Homem negro, dono de franquia do McDonald's, processa rede por discriminação

Alegações de Washington são semelhantes às queixas feitas por um grupo de 52 ex-operadores de franquia negros

Danielle Wiener-Bronner and Chauncey Alcorn, da CNN, de Nova York
17 de fevereiro de 2021 às 18:45 | Atualizado 17 de fevereiro de 2021 às 18:49
Logo do McDonald´s
Foto: May James/SOPA Images/LightRocket via Getty Images

 

Um operador de franquia do McDonald's entrou com uma ação judicial contra a empresa, alegando que o fato de ser negro o direcionou para restaurantes menos lucrativos em bairros de baixa renda, predominantemente negros.

O jogador aposentado da Liga Principal de Beisebol Herbert Washington, que atualmente opera 14 restaurantes McDonald's, entrou com uma ação civil em Ohio, na terça-feira. As alegações de Washington são semelhantes às queixas feitas por um grupo de 52 ex-operadores de franquia negros, que processaram a empresa por suposta discriminação racial, em setembro.

 

Washington, que opera franquias do McDonald's desde 1980, afirmou no processo que, ao longo dos anos, o McDonald's tornou mais difícil para ele ter sucesso em comparação com os operadores de franquia brancos. Ele disse ainda que a empresa tem tentado expulsá-lo, porque ele sinalizou a alegada discriminação.

O processo também alega que o McDonald's reduziu a publicidade às comunidades negras, impactando as vendas de Washington, e que lhe foram negados recursos que teriam ajudado a aumentá-las.

Em resposta ao processo, o McDonald's disse que os desafios comerciais de Washington foram "o resultado de anos de má administração" e que "investiu significativamente" em sua organização e ofereceu a ele oportunidades para resolver os problemas. O McDonald's acrescentou que "analisará a reclamação e responderá de acordo".

O McDonald's também disse que lançou sua maior campanha de marketing negro em 2019 e apoia a BET (Black Entertainment Television, emissora norte-americana que possui uma grade especialmente voltada ao público afro-americano dos Estados Unidos) há anos.

Em setembro, o grupo de ex-proprietários de franquia acusou o McDonald's em um processo de discriminação sistemática contra operadores de franquia negros, oferecendo melhor suporte financeiro e localizações mais favoráveis a pessoas de pele branca.

Na época, o CEO Chris Kempczinski respondeu ao processo em um vídeo enviado aos funcionários do McDonald's. “Não concordamos com as reivindicações desta ação e pretendemos nos defender fortemente”, disse ele, mas observou que a empresa poderia ir mais longe e aumentar a diversidade em suas operações de franquia.

"Nossas classificações de franqueados devem refletir mais de perto a composição cada vez mais diversificada deste país", disse ele. "Estamos comprometidos em ser melhores aliados, melhores patrocinadores e melhores líderes." O caso continua em andamento.

(Texto traduzido. Veja aqui o original)