Carrefour: Lucro cresce 31,1% no 4º tri com destaque para vendas online

A varejista, dona das bandeiras Atacadão e, claro, Carrefour, viu suas vendas online de alimentos saltarem 240% em um ano

André Jankavski, do CNN Brasil Business, em São Paulo*
17 de fevereiro de 2021 às 22:31
Carrefour
Carrinho de compras do Carrefour: empresa viu seu lucro aumento no ano da pandemia
Foto: REUTERS/Régis Duvignau

O Carrefour Brasil apresentou lucro de R$ 886 milhões no quarto trimestre deste ano. O montante representa uma alta de 31,1% em relação ao registrado no mesmo período de 2019. O Ebitda ficou em R$ 1,732 bilhão, alta de 18,2% ante o quarto trimestre de 2019.

No consolidado do ano, o lucro do Carrefour teve uma alta ainda maior: 43,4%. No total, a varejista teve ganhos de R$ 2,75 bilhões.

As vendas líquidas do grupo ficaram em R$ 19,873 bilhões no quarto trimestre, um crescimento de 24,1% em relação ao contabilizado um ano atrás. Em todo o ano de 2020, o Carrefour faturou R$ 67,6 bilhões. 

 O Atacadão continua sendo a grande estrela do grupo. Em 2020, o total de vendas da bandeira de atacarejo da empresa foi de R$ 57 bilhões, alta de 23,1% em comparação ao ano anterior.

Porém, um fator chamou a atenção no balanço de 2020 do grupo: as vendas online. No Atacadão, por exemplo, as vendas de alimentos por meios digitais aumentaram 142% no quarto trimestre. Se for considerado o ano de 2020 inteiro, a alta é de 240%. 

Além disso, o Carrefour também divulgou que o seu programa de fidelidade dobrou. Atualmente, 75% dos clientes da empresa são recorrentes.

Diversidade

Para completar, o Carrefour se comprometeu com os temas ligados ao ESG, especialmente o combate ao racismo estrutural. Isso aconteceu após o assassinato de João Alberto Silveira Freitas em uma unidade da varejista no Rio Grande do Sul no mês de novembro.

A empresa, agora, se compromete a ter um percentual mínimo de 50% de pessoas negras em novas contratações, além de investimentos em desenvolvimento desses colaboradores. Para completar, o Carrefour criou um comitê independente de diversidade que teve um aporte inicial de R$ 40 milhões.