Grandes empresas se tornaram mais dominantes durante pandemia, revela FMI

O relatório não nomeou empresas específicas, mas apontou o setor de tecnologia como o que mostra a concentração mais dramática em poder de mercado

Por David Lawder, da Reuters
15 de março de 2021 às 15:33 | Atualizado 15 de março de 2021 às 18:13
Sede do FMI
Logo do Fundo Monetário Internacional (FMI) na sede da instituição, em Washington (10.MAI.2018)
Foto: Yuri Gripas/Reuters

A pandemia de coronavírus fortaleceu significativamente o poder de mercado de empresas dominantes, o que pode prejudicar o crescimento de médio prazo e sufocar a inovação e o investimento, disse o Fundo Monetário Internacional nesta segunda-feira (15) em um novo artigo de pesquisa.

Os principais indicadores de poder de mercado estão subindo, incluindo aumentos de preços sobre custos marginais e a concentração de receitas entre os quatro maiores participantes de um setor, disse o estudo do FMI. Parte disso se deve ao aumento do número de falências, à medida que a pandemia provoca o declínio da concorrência.

"Devido à pandemia, estimamos que esta concentração possa agora aumentar nas economias avançadas pelo menos tanto quanto subiu nos 15 anos até o final de 2015"

Disse a diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, em um blog que acompanhou o artigo.

"Mesmo nas indústrias que se beneficiaram da crise, como o setor digital, os 'players' dominantes estão entre os maiores vencedores."

O relatório não nomeou empresas específicas, mas apontou o setor de tecnologia como o que mostra a concentração mais dramática em poder de mercado.

Os reguladores precisam garantir que os consumidores sejam capazes de usar mais de uma plataforma, citando "um risco de que plataformas com poder de mercado substancial possam abusar de sua posição dominante, prejudicando usuários em um ou ambos os lados do mercado, bem como potenciais concorrentes inovadores". disse o artigo.