BNY Mellon investe na Fireblocks, empresa de infraestrutura para criptomoedas

Investimento foi parte de uma rodada de financiamento de US$ 133 milhões

Por Sohini Podder e Noor Zainab Hussain, da Reuters
18 de março de 2021 às 18:03
Bitcoin
Foto: Dmitry Demidko/Unsplash

O Bank of New York Mellon investiu na Fireblocks, uma plataforma que permite que instituições financeiras armazenem, movimentem e emitam criptomoedas, aprofundando o foco do maior banco de custódia do mundo em ativos digitais.

O investimento foi parte de uma rodada de financiamento de US$ 133 milhões que também inclui o fundo de hedge Coatue Management e as firmas de investimentos Ribbit Capital, Stripes e SVB Capital, disse a Fireblocks nesta quinta-feira (18).

A última rodada avalia a Fireblocks em cerca de US$ 1 bilhão, segundo uma pessoa a par do assunto. Os atuais investidores, incluindo Paradigm, Galaxy Digital e Swisscom Ventures também participaram da rodada.

A entrada do BNY Mellon ocorre após o banco no mês passado se juntar à corrida das principais empresas de serviços financeiros para apostar em moedas digitais como bitcoin, dizendo que formou uma nova unidade para ajudar os clientes a manter, transferir e emitir ativos digitais.

O Morgan Stanley na quarta-feira (17)  se tornou o primeiro grande banco dos Estados Unidos a oferecer a seus clientes de gestão de fortunas acesso a fundos de bitcoin.

O Fireblocks está presente na Europa, Ásia e América do Norte, com clientes incluindo bancos, bolsas, fundos de hedge e formadores de mercado.

A empresa já captou US$ 179 milhões até o momento.

Fred Ehrsam, o cofundador da bolsa de criptomoedas Coinbase, está entre os membros do conselho da Fireblocks.