Em estreia em Hong Kong, ações do Baidu fecham estáveis

O presidente da Baidu, Robin Li, disse que a operação foi uma volta para casa da empresa

Scott Murdoch e Yingzhi Yang, da Reuters
23 de março de 2021 às 13:03
Baidu
Foto: Reuters/Tingshu Wang

As ações da Baidu fecharam estáveis em estreia em Hong Kong nesta terça-feira (23), contrariando a tendência de forte valorização no primeiro pregão, com investidores receosos com a enxurrada de captações no mercado e sobre os planos de crescimento da empresa.

Os papéis - que já são listados na Nasdaq, nos Estados Unidos - fecharam a US$ 252 Hong Kong cada, em linha com o preço definido na "listagem secundária", que levantou o equivalente a US$ 3,1 bilhões norte-americanos.

A operação foi a estreia mais fraca para uma empresa listada nos EUA em Hong Kong desde a Yum China, que viu suas ações recuarem 5,3% na estreia em setembro.

O analista da LightStream Research, Shifara Samsudeen, disse que as estreias em "listagens secundárias" geralmente não eram tão fortes quanto os IPOs, mas observou que os investidores estão preocupados com os planos futuros de crescimento e diversificação da Baidu.

"Achamos que levará mais alguns trimestres para que o mercado aprecie devidamente os esforços da Baidu em computação em nuvem e outras iniciativas e avalie a ação como um papel abrangente da internet", disse Samsudeen à Reuters.

Hong Kong viu US$ 31,4 bilhões norte-americanos arrecadados com as vendas de ações até agora este ano, em comparação com US$ 8,6 bilhões no mesmo período do ano passado, o que tem gerado preocupações de que o apetite para compras de novos negócios possa estar enfraquecendo.

O presidente da Baidu, Robin Li, disse que a operação foi uma volta para casa da empresa.

"Quando a Baidu foi listada na Nasdaq ... eu disse que a Nasdaq era apenas uma de nossas paradas. A Baidu voltaria para a China em algum momento, porque a China é nossa raiz. Hoje, a Baidu finalmente voltou para casa", disse o executivo em cerimônia em Pequim.