Preços do petróleo caem 6% em meio a restrições e vacinação lenta na Europa

Contratos futuros do petróleo Brent fecharam em queda de US$ 3,83, ou 5,9%, a US$ 60,79 por barril, depois de atingirem uma mínima de US$ 60,50 durante a sessão

Por Jessica Resnick-Ault, da Reuters
23 de março de 2021 às 18:42
Sonda de petróleo na região de Midland, Texas, EUA.
Sonda de petróleo na região de Midland, Texas ( 22.AGO.2019)
Foto: Jessica Lutz/REUTERS

Os preços do petróleo despencaram cerca de 6% nesta terça-feira, (23) afetados por temores com as novas restrições relacionadas à pandemia na Europa e com o lento processo de vacinação contra Covid-19 no continente.

Os contratos futuros do petróleo Brent fecharam em queda de US$ 3,83, ou 5,9%, a US$ 60,79 por barril, depois de atingirem uma mínima de US$ 60,50 durante a sessão.

Já o petróleo dos Estados Unidos (WTI) recuou US$ 3,80, ou 6,17%, para US$ 57,76 o barril, tendo atingido uma mínima de US$ 57,32.

Ambas as referências operaram ao redor dos menores níveis desde 9 de fevereiro.

O spread do primeiro contrato do Brent entrou em "contango" pela primeira vez desde janeiro. O "contango" ocorre quando os primeiros contratos são mais baratos do que os para meses futuros, podendo encorajar operadores a estocar petróleo.

"O caminho para a recuperação da demanda por petróleo parece estar cheio de obstáculos, à medida que o mundo segue lutando contra a pandemia de Covid-19", disse Bjornar Tonhaugen, head de mercados de petróleo da Rystad Energy.

"Os preços do petróleo voltaram a cair nesta terça, provando que a correção da semana passada não foi profunda o suficiente e que o mercado tem negociado com um sentimento excessivamente altista nos últimos tempos, ignorando os riscos da pandemia", acrescentou.