BNDES devolverá R$ 62 bi antecipados ao Tesouro, mais R$ 54,2 bi em 2022

Saldo remanescente de dívida do banco com o Tesouro é de aproximadamente R$ 116,2 bilhões

Denise Luna, do Estadão Conteúdo
26 de março de 2021 às 21:02 | Atualizado 26 de março de 2021 às 21:04
BNDES Logo
Prédio do BNDES no Rio de Janeiro (8.Jan.2019)
Foto: Sérgio Moraes/Reuters

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) confirmou a devolução antecipada de R$ 62 bilhões este ano para o Tesouro Nacional, totalizando R$ 100 bilhões em 2021, e mais R$ 54,2 bilhões em 2022.

O documento com a proposta, acordada com o Ministério da Economia, foi encaminhado hoje para o Tribunal de Contas da União, informou o BNDES em nota.

O banco informou ainda que o saldo remanescente das dívidas com o Tesouro contempladas no plano é de aproximadamente R$ 116,2 bilhões, sendo R$ 13,5 bilhões de Instrumentos Especiais de Capitais Próprios - IECP (híbridos) e R$ 102,7 bilhões de contratos mútuos.

Ano passado, o BNDES pagou ao Tesouro R$ 16 bilhões em devoluções da amortização ordinária da dívida com a União. Não houve pagamentos antecipados em 2020. As devoluções foram suspensas por causa da crise causada pela covid-19. Em outubro passado, porém, o Ministério da Economia voltou a negociar devoluções antecipadas a partir deste ano, pedindo os R$ 100 bilhões ao BNDES.