Hering salta 30% e Arezzo avança outros 8% na B3, após proposta negada de fusão

A varejista têxtil Hering recebeu uma proposta de compra do controle da empresa pela Arezzo, de acordo com comunicado divulgado na noite de quarta-feira (14)

Matheus Prado, do CNN Brasil Business, em São Paulo
15 de abril de 2021 às 11:58 | Atualizado 16 de abril de 2021 às 00:44

As ações da Hering disparavam 26,6% às 11h45 desta quinta-feira (15) após a empresa descartar a proposta de fusão da Arezzo. A companhia de Alexandre Birman, por sua vez, saltava outros 8% na B3. O movimento mostra que a proposta, mesmo que rejeitada, animou os investidores.

Em comunicado ao mercado, a empresa com sede em Blumenau disse, na noite de quarta-feira (14), que “recebeu uma carta não solicitada da Arezzo” com a proposta para a fusão das duas empresas. Não foram divulgados detalhes da oferta.

No passado, vale lembrar, ofertas de compra negadas — como aconteceu na disputa da Stone e da Totvs pela Linx — abriram novas rodadas de negociação com condições melhores para a empresa-alvo.

Segundo o comunicado, o Conselho de Administração da Hering analisou os detalhes e decidiu, por unanimidade, em reunião realizada na quarta-feira rejeitar a proposta. A Hering informa que a oferta “não atende ao melhor interesse dos acionistas e da própria companhia”.

Vista de loja da Cia. Hering, em São Paulo
Foto: Aluísio Alves/REUTERS

 

A empresa de Santa Catarina reafirmou o plano estratégico que vai combinar marcas, expansão e integração de canais. A Arezzo, por sua vez, não divulgou detalhes sobre a proposta nem comunicado ao mercado.

Recentemente, a Arezzo comprou o controle da grife Reserva e estreou no segmento têxtil.