Ibovespa sobe puxado por bancos; dólar cai a R$ 5,41

Internamente, o mercado olhava para uma semana que promete ser cheia. CPI da Pandemia, reunião do Copom e balanços de empresas devem impactar os negócios

Matheus Prado e Leonardo Guimarães, do CNN Brasil Business, em São Paulo*
03 de maio de 2021 às 09:17 | Atualizado 03 de maio de 2021 às 17:26
arte business mercado
Foto: CNN

O dólar começou maio em queda de 0,24% ante o real, negociado a R$ 5,4182, com o ambiente externo otimista estimulando investidores a devolver uma fração da forte alta da sessão anterior. Na sexta, a cotação havia saltado 1,81%.

Na B3, o Ibovespa fechou em leve alta de 0,27%, para 119.209, com investidores comprando ações de bancos e de empresas mais capazes de serem beneficiadas pela reabertura da economia ao mesmo tempo em que realizaram lucros com papéis ligados a commodities.

O BTG Pactual (BPAC11) subiu 3,84%, enquanto o Bradesco (BBDC4) teve valorização de 3%, o Santander (SANB11) ganhou 1,95% e o Itaú (ITUB4) subiu 1,4%. 

Internamente, o mercado olhava para uma semana que promete ser cheia. CPI da Pandemia, reunião do Copom e balanços de empresas devem impactar os negócios.

Globalmente, com Wall Street superando suas máximas seguidamente e o governo americano ainda injetando liquidez, investidores podem tomar mais riscos neste novo mês.

Lá fora

Os índices S&P 500 e Dow Jones encerraram em alta nesta segunda-feira, em meio a uma temporada de balanços positiva, enquanto o Nasdaq sofreu pressão decorrente de quedas em algumas ações de alto crescimento, com a continuidade da rotação para papéis cíclicas e ligados à reabertura econômica.

O Dow Jones encerrou em alta de 0,7%, aos 34.113 pontos; o S&P 500 avançou 0,27%, aos 4.192 pontos. O Nasdaq recuou 0,48%, aos 13.895 pontos.

Setores cíclicos (sensíveis à economia) do S&P 500 como consumo básico, energia e materiais básicos superaram setores que abrigam ações de crescimento, incluindo tecnologia e serviços de comunicação.

Os mercados de ações da Europa fecharam em alta nesta segunda-feira, depois que a Comissão Europeia delineou planos para afrouxar restrições ao turismo decorrentes da Covid-19, enquanto fortes dados fabris e de vendas no varejo e uma robusta temporada de balanço corporativos aumentaram o otimismo.

O índice de ações da zona do euro, que consiste em mercados da Europa continental, terminou com ganho de 0,6%, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 subiu também 0,6%.

As bolsas asiáticas fecharam os negócios desta segunda-feira (3) em baixa, num dia de liquidez reduzida em meio a feriados na China e no Japão que deixaram os mercados locais não abriram e com investidores atentos à preocupante situação da Covid-19 na Índia.

O Hang Seng caiu 1,28% em Hong Kong hoje, a 28.357,54 pontos, pressionado por ações do setor financeiro, enquanto o sul-coreano Kospi recuou 0,66% em Seul, a 3.127,20 pontos, com as perdas lideradas pelos setores químico e farmacêutico, e o Taiex registrou expressiva queda de 1,96% em Taiwan, a 17.222,35 pontos, ao voltar de um feriado local.

Em função de uma série de feriados, os mercados japonês e chineses, os mais líquidos da região, só voltarão a operar na quinta-feira (6).

Em boa parte da Ásia, os casos de Covid-19 estão em trajetória de alta e a vacinação contra a doença segue em ritmo lento, mas a Índia continua no centro das atenções, chegando a registrar mais de 400 mil novas infecções em 24 horas, um recorde global.

Na Oceania, a bolsa australiana garantiu alta apenas marginal nesta segunda, graças ao bom desempenho de ações de grandes bancos do país. O S&P/ASX 200 avançou 0,04% em Sydney, a 7.028,80 pontos. 

*Com Reuters e Estadão Conteúdo