Petrobras inicia processo de licitação para compra de 9ª plataforma em Búzios

A plataforma será a nona unidade a operar no campo, com capacidade para processar diariamente 225 mil barris de óleo e 12 milhões de metros cúbicos de gás

Nayara Figueiredo, da Reuters
03 de maio de 2021 às 11:36
plataforma de petróleo
Plataforma de Petróleo em Santos, São Paulo
Foto: Divulgação/Petrobras

A Petrobras iniciou o processo de licitação para aquisição de um novo FPSO para o campo de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos, afirmou a companhia nesta segunda-feira (3).

Batizada de P-80, a plataforma será a nona unidade a operar no campo, com capacidade para processar diariamente 225 mil barris de óleo e 12 milhões de metros cúbicos de gás, cuja perspectiva de operação é 2026. FPSO é a sigla em inglês para a unidade que produz, armazena e transfere petróleo e gás.

Segundo a empresa, assim como o FPSO Almirante Tamandaré, em fase de construção, a P-80 será a maior unidade de produção de petróleo a operar no Brasil e uma das maiores do mundo.

"A unidade contratada na modalidade EPC (engenharia, suprimento e construção) é resultado da estratégia da Petrobras de desenvolver novos projetos de plataformas próprias, incorporando lições aprendidas nos FPSOs no pré-sal, incluindo aspectos de contratação e construção", disse a empresa.

O modelo prevê a participação, por meio de pré-qualificação pública, de empresas nacionais e internacionais. O campo de Búzios, descoberto em 2010, é o maior campo de petróleo em águas profundas do mundo.

A Petrobras estima que o campo deve chegar ao fim da década com produção diária acima de 2 milhões de barris de óleo equivalente, tornando-se o ativo da empresa com maior produção. 

Atualmente, há quatro unidades em operação em Búzios, que respondem por mais de 20% da produção total da Petrobras. A quinta e sexta plataforma (FPSOs Almirante Barroso e Almirante Tamandaré) estão em construção a sétima e a oitava unidades (FPSOs P-78 e P-79) estão em processo de contratação.