Copom inicia reunião que pode elevar Selic para 3,5% ao ano

Após surpresa na última reunião, mercado financeiro está confiante de que BC anunciará amanhã aumento de 75 pontos base na taxa básica de juros

Leonardo Guimarães, do CNN Brasil Business, em São Paulo
04 de maio de 2021 às 14:28
Dinheiro / real
Foto: Priscila Zambotto / Getty Images

Depois de surpreender o mercado e anunciar a aumento de 75 pontos base na taxa básica de juros (Selic) na última reunião, a expectativa geral é de que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) repita a dose na terceira reunião do ano. O encontro começou nesta terça-feira (4) e termina amanhã (5) no fim do dia, quando o comitê anunciará a decisão. 

Apesar de ter sido surpreendido na última reunião, o mercado espera agora mais previsibilidade no movimento do BC. O consenso entre os analistas é de um novo aumento de 0,75 ponto percentual, o que levaria a Selic a 3,5% ao ano. 

Depois da reunião de maio, os especialistas ainda esperam nova alta em junho, com o juro básico indo a 4,25% ao ano.

Com isso, o Banco Central vai dando continuidade ao processo de retirada de estímulos à economia. Os juros foram reduzidos para estimular a atividade econômica e reduzir os danos causados pela pandemia de Covid-19.

O Banco Central já deixou claro na última reunião que deve realizar novos aumentos. "O Copom ressalta que essa visão para a próxima reunião continuará dependendo da evolução da atividade econômica, do balanço de riscos, e das projeções e expectativas de inflação", disse em comunicado. 

Agora, o mercado vai ficar de olho na sinalização da autarquia sobre as próximas reuniões. “A grande discussão é se o Banco Central muda a sinalização removendo o ajuste parcial”, diz Adauto Lima, economista-chefe da Western Asset. 

A taxa básica de juros é o principal instrumento do Banco Central para perseguir a meta de inflação, estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para este ano, a meta é de 3,75%, com tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, podendo oscilar entre 2,25% e 5,25%. 

A previsão do mercado financeiro para a inflação de 2021 já está em 5,04%. Há um mês, a projeção para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) estava em 4,81%.

A expectativa para inflação de 2022 também já está acima do centro da meta. Portanto, o BC já pode indicar medidas mais duras, como aumento de 1 ponto base da Selic na próxima reunião. 

“O importante é ficar de olho no comunicado para identificar os próximos passos. O aumento de 75 pontos base para amanhã já está bem claro”, afirma Mauro Orefice, diretor de investimentos da BS2 Asset. 

De acordo com o BTG Pacutal, a Selic deve encerrar 2021 a 5,5% ao ano com aumentos de 50 pontos base em junho, agosto e setembro e outros dois aumentos de 25 pontos base em outubro e dezembro.