YouTube investe US$ 100 mi para alavancar novo recurso de vídeos Shorts

O fundo será lançado nos próximos meses e pagará os criadores neste ano e em 2022, disse o YouTube

Por Sheila Dang, da Reuters
11 de maio de 2021 às 16:32 | Atualizado 11 de maio de 2021 às 17:26
YouTube diminui resolução padrão de vídeos para evitar sobrecarga da internet
Youtube reduz resolução padrão dos vídeos para para evitar problemas na internet
Foto: Dado Ruvic - 28.mar.2018/ Reuters

O YouTube anunciou nesta terça-feira (11) um fundo de US$ 100 milhões para pagar criadores de conteúdo que fazem vídeos de sucesso em seu novo recurso de vídeos curtos Shorts, com a intenção de atrair mais influenciadores.

O fundo será lançado nos próximos meses e pagará os criadores neste ano e em 2022, disse o YouTube, que pertence à Alphabet.

Esse investimento chega no momento em que as plataformas lutam para atrair jovens criadores, que estão conquistando muitos fãs - e um grande potencial de ganhos - ao filmar pequenos vídeos cômicos e dancinhas virais.

O aplicativo TikTok deu início à tendência de vídeos curtos e foi rapidamente copiado por outras plataformas, como o Reels no Instagram, que é de propriedade do Facebook, o Spotlight do Snapchat e o Shorts do YouTube.

O YouTube disse que o novo fundo pagará mensalmente milhares de criadores cujos vídeos curtos recebam mais engajamento do público. Ele ainda acrescentou que começará a testar anúncios nos Shorts.

Diante do aumento de competição no mercado de vídeos curtos, as plataformas têm usado fundos para criadores como uma forma de atrair mais usuários.