Ford fecha acordo para demissão de 4.000 trabalhadores em Camaçari

Todos os funcionários terão direito a um valor mínimo de R$ 130 mil

Raquel Landim
Por Raquel Landim, CNN  
12 de maio de 2021 às 11:57 | Atualizado 12 de maio de 2021 às 19:16
Ford
Foto: Ford

A Ford fechou nesta quarta-feira (12) acordo para a demissão de 4.000 trabalhadores em Camaçari, na Bahia, e concluiu o encerramento de praticamente toda a sua produção no Brasil.

A montadora continua produzindo apenas os jeeps da Troller no Ceará, cuja fábrica vai parar de funcionar no terceiro trimestre do ano. Mas o acordo trabalhista com essa unidade já foi fechado.

Em janeiro deste ano, a empresa anunciou que encerraria sua atividade fabril no país, seguindo com a venda apenas de carros importados. A Ford fabricava motores em Taubaté (SP) e os modelos Ka e Ecosport em Camaçari.

A montadora, que produzia no Brasil desde 1950, atribuiu a decisão à crise da pandemia de Covid-19 e à falta de rentabilidade das fábricas brasileiras. O foco da Ford agora serão veículos maiores e de novas tecnologias. O mercado local será atendido por importações.

Embora a empresa já tivesse fechado anteriormente a fábrica de caminhões em São Bernardo do Campo (SP), a decisão foi tomada pela matriz americana e pegou o governo brasileiro e os trabalhadores de surpresa.

As negociações com os sindicatos foram difíceis, principalmente na Bahia. Segundo Julio Bonfim, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari, as verbas indenizatórias extras vão garantir ao trabalhador um período longo de tranquilidade para buscar um novo emprego.

De acordo com a empresa, além das verbas rescisórias garantidas por lei, os funcionários do chão de fábrica e os administrativos receberão, respectivamente, dois salários e um salário a mais por ano trabalhado. Todos terão direito a um valor mínimo de R$ 130 mil.