Apoio monetário é essencial para garantir volta da inflação à meta, diz BCE

Uma nova avaliação conjunta abrangente deve ser conduzida na próxima reunião de política monetária em junho

Balazs Koranyi, da Reuters
14 de maio de 2021 às 12:32
Logo do Banco Central Europeu em Frankfurt, Alemanha
Logo do Banco Central Europeu em Frankfurt, Alemanha
Foto: REUTERS/Ralph Orlowski

As autoridades do Banco Central Europeu prepararam o terreno para uma decisão em 10 de junho sobre o futuro de suas compras emergenciais de títulos devido à Covid-19 quando se reuniram em abril, mas não chegaram a discutir seu próximo movimento, mostrou a ata de sua reunião nesta sexta-feira (14).

O BCE, que já está fornecendo um apoio recorde, vem ajudando a economia da zona do euro, que foi atingida pela recessão em sua pior crise até agora. Mas uma recuperação robusta, juntamente com um salto na inflação, forçará as autoridades a debater se devem começar a desacelerar o Programa de Compras de Emergência Pandêmica (PEPP, na sigla em inglês) de 1,85 trilhão de euros do BCE.

Os argumentos estão se acumulando de forma bastante uniforme para ambos os lados, sugerindo uma decisão difícil no próximo mês.

"Uma nova avaliação conjunta abrangente deve ser conduzida na próxima reunião de política monetária em junho", disse o BCE na ata da reunião de 22 de abril.

Ainda assim, as autoridades deixaram claro que, mesmo depois do PEPP, o BCE fornecerá bastante suporte nos próximos anos.

"Amplo apoio da política monetária permanece crucial para além do período de pandemia para sustentar a inflação e devolvê-la à meta", acrescentou o BCE.