Todos os carros da Lamborghini terão um motor elétrico até 2024

Os modelos híbridos da Lamborghini combinarão motores elétricos e baterias potentes com os tradicionais motores de combustão interna

Peter Valdes-Dapena, do CNN Business
18 de maio de 2021 às 08:54
Lamborghini
Lamborghini
Foto: Divulgação/Lamborghini

Até o final de 2024, cada modelo oferecido pela Lamborghini será um híbrido plug-in, anunciou o CEO Stephan Winkelmann. Mas não espere um supercarro Lamborghini totalmente elétrico tão cedo.

Os modelos híbridos da Lamborghini combinarão motores elétricos e baterias potentes com os tradicionais motores de combustão interna.

Os clientes-alvo da Lamborghini, aqueles que gastam centenas de milhares de dólares em carros que andam rápido, mas também parecem e soam rápidos, mostraram que aceitarão esse tipo de tecnologia, disse Winkelmann. Os híbridos plug-in mantêm a sensação e o som de um motor de combustão interna quando dirigidos agressivamente, enquanto permitem que o carro opere às vezes com energia puramente elétrica.

"A hibridização é muito aceita e carros totalmente elétricos, em termos de carros superesportivos, não", disse Winkelmann. "E isso é algo que também experimentei e vi quando olho para outras empresas."

Concorrente italiana da Lamborghini, a Ferrari já oferece um modelo híbrido plug-in e a britânica McLaren terá um em breve. Existem alguns supercarros totalmente elétricos com disponibilidade extremamente limitada, como o Rimac Concept One e o Pininfarina Battista, mas eles vieram de startups em vez de montadoras tradicionais.

Com esses modelos híbridos plug-in, a Lamborghini espera reduzir as emissões gerais de carbono de seus carros em 50% até o início de 2025. A marca de supercarros está investindo € 1,5 bilhão (R$ 9,6 bilhões) no projeto ao longo de quatro anos.

“Se olharmos para os desafios de amanhã, o maior, em nossa opinião, é o das emissões de CO2, e o objetivo de reduzi-los para nós é ainda mais desafiador e mais difícil porque somos uma empresa de carros superesportivos”, Winkelmann disse. "E temos que enfrentar também o fato de que não se trata apenas de reduzir, mas também de manter o desempenho."

Os executivos da Lamborghini falaram no passado sobre o desafio de criar um supercarro no estilo Lamborghini Aventador movido exclusivamente a baterias. Um grande problema é que as baterias de hoje simplesmente não conseguem conceder energia suficiente em um espaço pequeno o suficiente.

Para ter alta potência e aceleração, ao mesmo tempo que é capaz de dirigir centenas de quilômetros antes de recarregar, um carro precisará carregar muitas baterias. Se você quer um carro pequeno, leve e rasteiro, características de um carro esportivo, ele ficará sem carga rapidamente, especialmente se o motorista estiver pisando fundo no acelerador.

A Lamborghini está nos estágios iniciais de desenvolvimento de um carro totalmente elétrico, mas será um carro esportivo de quatro lugares, não de dois lugares, disse Winkelmann. Além disso, poucas outras decisões sobre o primeiro carro elétrico da montadora italiana foram tomadas. Até mesmo o número de portas, duas ou quatro, ainda está em discussão.

Esse carro elétrico poderia compartilhar engenharia com o Porsche Taycan e Audi E-Tron GT. Ambos são carros elétricos de quatro portas e alto desempenho feitos por marcas irmãs da Lamborghini (Lamborghini, a Porsche e a Audi fazem parte do Grupo Volkswagen).

Ou a Lamborghini poderia desenvolver o carro elétrico inteiramente por conta própria, disse Winkelmann. "No final do dia, você precisa mudar tudo, [mas não] mudar nada", disse Winkelmann. "Continuar como estamos. Este é o principal desafio de hoje."

Os executivos da Porsche disseram a mesma coisa ao explicar por que a marca não anunciou planos de oferecer um carro esportivo elétrico. O próximo Porsche EV será um pequeno SUV semelhante ao Porsche Macan.

Como alternativa aos carros elétricos, a Porsche está trabalhando com várias empresas de energia para criar combustíveis neutros em carbono que possam ser queimados em motores de combustão interna sem aumentar o nível de dióxido de carbono na atmosfera. A Lamborghini também está estudando o uso dos chamados e-combustíveis, disse Winkelmann.

A Lamborghini produziu alguns carros-conceito ao longo dos anos que sugerem possíveis rumos que a marca italiana poderia tomar. Por um lado, tem trabalhado com cientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts em supercapacitores especiais que podem armazenar e reter muita energia em menos espaço e com menos peso do que as baterias. Eles também podem absorver e liberar energia mais rapidamente do que as baterias. O carro-conceito Lamborghini Terzo Millennio, lançado em 2017, mostrou como pode ser um supercarro elétrico com essa tecnologia.

O Lamborghini Sián, um modelo de produção limitada revelado em 2019, é um híbrido. Ele não tem porta de recarga, mas usa energia extra do motor a gasolina do carro armazenada em um supercapacitor para fornecer potência adicional ao acelerar e durante as mudanças de marcha.

O Grupo Volkswagen também é um grande investidor na QuantumScape, uma empresa que está desenvolvendo baterias de estado sólido. Esse tipo de bateria pode conter mais energia em um espaço menor do que as atuais baterias de íons de lítio para carros elétricos, feitas com produtos químicos líquidos. Eles poderiam, potencialmente, ajudar a superar os desafios de tamanho e peso de um carro esportivo de alto desempenho.

O presidente-executivo da QuantumScape, Jagdeep Singh, disse que sua empresa tem conversado com alguns "produtores de supercarros", mas não quis nomear nenhuma delas. Os executivos da Lamborghini se recusaram a comentar sobre quaisquer tecnologias de bateria em potencial.

*Texto traduzido, clique aqui para ler o original