Twitter volta a conceder marcação de usuários verificados

A companhia pausou o recebimento dos pedidos de concessão do selo de verificação em 2017, em meio a críticas de que o programa era arbitrário e confuso

Elizabeth Culliford, da Reuters
20 de maio de 2021 às 13:34
Aplicativo do Twitter
Aplicativo do Twitter
Foto: Mike Blake/Reuters (22.jul.2019)

Os usuários do Twitter já podem fazer pedidos para terem a marca de perfil verificado após anos de congelamento em pedidos do público, mas a companhia afirmou que apenas usuários "notáveis" receberão a distinção.

A companhia pausou o recebimento dos pedidos de concessão do selo de verificação em 2017, em meio a críticas de que o programa de certificação de perfis era arbitrário e confuso.

Sob as novas regras, para serem verificadas, as contas precisam estar ativas nos últimos seis meses e cumprirem um de vários critérios: serem de governo, companhias, marcas e organizações, de veículos de imprensa e jornalistas, de entretenimento, esportes ou videogames, de ativistas, organizadores ou outros indivíduos influentes.

O Twitter também planeja categorias para cientistas, acadêmicos e líderes religiosos mais para o final deste ano.

As contas também precisam ter um histórico de cumprimento de regras do Twitter. Especificamente, não terem cometido violações que resultaram em suspensões de 12 horas ou uma semana no ano anterior.

O Twitter afirmou também que o processo de aprovação vai avaliar o comportamento do usuário, algo que inclui assédio ou publicação de conteúdo que promova supremacia de algum grupo em particular "dentro ou fora" da rede social.

As contas verificadas também precisam ser completas, com recursos que incluem imagem do perfil e serem capazes de fornecerem identidade ou endereços de email.

O Twitter afirmou ainda que está trabalhando para fornecer informações sobre diferentes tipos de contas. A empresa está trabalhando para lançar um novo tipo de conta de robôs automáticos legítimos em julho e contas de usuários que morreram, até o final deste ano. A companhia também afirmou que está avaliando como identificar contas de humor e sátira.