Aéreas disparam e Ibovespa fecha em alta; dólar cai a R$ 5,31

Ações da Azul dispararam mais de 11% depois de rumores de aquisição da operação brasileira da Latam

Matheus Prado e Leonardo Guimarães, do CNN Brasil Business, em São Paulo*
26 de maio de 2021 às 09:18 | Atualizado 26 de maio de 2021 às 17:24
arte business mercado
Foto: CNN

O dólar fechou em queda de 0,48%, para R$ 5,3127, nesta quarta-feira, ficando no meio do caminho entre a máxima e a mínima da sessão, com o real chegando a figurar entre os melhores desempenhos globais na sessão, beneficiado por fluxo de exportadores.

Na B3, o Ibovespa fechou em alta com recuperação da Vale e rali das aéreas Azul e Gol. O índice acionário teve alta de 0,81%, para 123.989 pontos, ajudado ainda pelo dia positivo em Wall Street. 

A Azul (AZUL4) disparou 11,31%, ainda sob efeito de declarações da empresa de que estuda oportunidades de consolidação e que está em uma posição forte para liderar um processo nesse sentido. Uma fonte disse à Reuters que a Azul abordou a chilena Latam Airlines com o objetivo de comprar sua operação brasileira. Ontem, as ações da companhia subiram 4,11%.

A Gol (GOLL4) avançou 7,15%, após melhora nas previsões sobre ocupação e custos neste segundo trimestre, além de estimativas para a segunda metade do ano.

A Vale (VALE3) subiu 2,94%, amenizando a correção negativa desde que renovou máxima histórica mais cedo no mês. 

Ontem, o vice-presidente do Fed, Richard Clarida, disse que seu cenário-base indica inflação "transitória" nos EUA, mas garantiu que o BC americano dispõe de ferramentas para lidar com eventuais pressões de preços mais persistentes sem comprometer a recuperação econômica.

Clarida também argumentou que o recente salto da inflação é causado principalmente pela reabertura da economia, após a crise gerada pela pandemia de Covid-19. Outros dirigentes do Fed têm feito afirmações semelhantes, aliviando temores de que a inflação pudesse antecipar a normalização da política monetária.

Internamente, investidores seguiram de olho na CPI da Pandemia e na reforma tributária, que começa a avançar no Congresso.

Lá fora

Os principais índices de Wall Street subiram nesta quarta-feira depois que comentários de autoridades do Federal Reserve ajudaram a aliviar preocupações com a alta da inflação nos Estados Unidos, enquanto uma recente queda nos rendimentos dos Treasuries apoiava as ações relacionadas à tecnologia pela terceira sessão consecutiva.

O índice Dow Jones subiu 0,03%, a 34.323 pontos, enquanto o S&P 500 avançou 0,19%, a 4.195 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq teve valorização de 0,59%, a 13.738 pontos.

As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam sem direção única e com variações modestas após dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) reafirmarem uma postura de política monetária acomodatícia, ajudando a reduzir temores sobre pressões inflacionárias.

O índice acionário japonês Nikkei subiu 0,31% em Tóquio hoje, a 28.642,19 pontos, enquanto o Hang Seng avançou 0,88% em Hong Kong, a 29.166,01 pontos, e o Taiex registrou alta de 0,29% em Taiwan, a 16.643,69 pontos.

Na China continental, o Xangai Composto se valorizou 0,34%, a 3.593,36 pontos, renovando máxima em três meses, mas o Shenzhen Composto teve perda marginal de 0,06%, a 2.380,56 pontos.

Já o mercado sul-coreano ficou levemente no vermelho, com queda de 0,09% do Kospi, a 3.168,43 pontos, após um pregão volátil.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou em território negativo hoje, influenciada por ações de mineradoras e petrolíferas. O S&P/ASX 200 caiu 0,32% em Sydney, a 7.092,50 pontos. 

*Com informações de Reuters e Estadão Conteúdo