Google vai começar a usar chips da AMD em serviços de computação em nuvem

A empresa afirmou que clientes como Snap e Twitter estão testando os novos serviços baseados nos chips da AMD

Por Stephen Nellis, da Reuters
17 de junho de 2021 às 18:21
Google removeu anúncios que desrespeitavam sua política de distorção
Porta-voz do Google afirmou que anúncios foram removidos por desrespeitar política de distorção da empresa
Foto: Arnd Wiegmann -19.jul.2018/ Reuters

AMD e Google Cloud anunciaram nesta quinta-feira (17) que o Google vai oferecer serviços de computação em nuvem baseados no mais recente chip dedicado para data centers da AMD, o que deve ampliar a captura de mercado da rival Intel.

Provedores de computação em nuvem como Google, Amazon.com e Microsoft estão entre os maiores compradores de chips especializados para centrais de dados e fornecem serviços mediante aluguel de poder de processamento derivada dos chips que utilizam em suas infraestruturas.

O Google anunciou nesta quinta-feira que vai começar a oferecer serviços baseados no chip "Milan" da AMD, lançado em março. A empresa afirmou que clientes como Snap e Twitter estão testando os novos serviços baseados nos chips da AMD.

A Intel anunciou em abril o chip "Ice Lake", rival do Milan, e afirmou que grandes provedores de serviços de computação em nuvem iriam utilizá-lo. A Intel, porém, não informou quando o Google vai começar a oferecer serviços baseados no Ice Lake.