Nubank lança cartão com cashback e acesso a Apple Pay

Focado em classes mais altas, para pedir o cartão é preciso ter uma média de gastos de R$ 5 mil nos últimos três meses ou R$ 150 mil guardados ou investidos

Tamires Vitorio, do CNN Brasil Business, em São Paulo
06 de julho de 2021 às 12:31 | Atualizado 06 de julho de 2021 às 12:52
Anitta e Cris Junqueira
Foto: Nubank/Reprodução

A cantora Anitta, que recentemente se juntou ao conselho da fintech Nubank, foi anunciada nesta terça-feira (6), como a primeira pessoa a ter o cartão Ultravioleta da empresa — uma espécie de cartão "black" da companhia.

O novo cartão oferece benefícios como salas vip e WiFi em aeroportos, seguro viagem, fundos exclusivos, milhas sem limite com resgate pelo app, cashback instantâneo de 1% e direito a usá-lo no Apple Pay, sistema de pagamentos da fabricante do iPhone. 

Sem números impressos, o cartão é totalmente digital e só é possível conseguir essas informações no aplicativo do Nubank, o que, segundo a startup "aumenta a confiabilidade e a segurança". Para pedir o cartão, é preciso ter uma média de gastos de R$ 5 mil nos últimos três meses ou R$ 150 mil guardados e/ou investidos no próprio banco ou na Easynvest by Nubank. 

"Para o Ultravioleta, vamos ter uma faixa de taxa de juros, mas não tem uma diferenciação. A diferenciação está no benefício oferecido e no limite", diz Cristina Junqueira, CEO do Nubank no Brasil, em coletiva de imprensa acompanhada pelo CNN Brasil Business

No evento de apresentação, Anitta usou uma lanterna ultravioleta para ver a mensagem secreta que o cartão traz. Junqueira explica que a ideia para o cartão veio de uma necessidade de focar mais no público jovem. "Quando começamos a desenhar o produto, tivemos essa ideia de usar a luz ultravioleta para entregar algumas mensagens. São sete frases diferentes, e elas serão distribuídas no cartão. Cada pessoa vai receber uma mensagem, e só ela vai saber qual é, e não pode escolher", diz. 

O banco enviará a lanterna para que o cliente leia sua mensagem, que pode ser "Não somos números" ou "Seja protagonista da sua própria vida", por exemplo.

Junqueira também conta que a empresa não tem metas de emissão de cartões e que existe "uma limitação da produção" por conta do metal utilizado no produto. Segundo a presidente da empresa, é por esse motivo que o cartão não será oferecido para todos os clientes.