IPO do Traders Club pode levantar até R$ 844 milhões

Fundado em 2016, o TC, como também é conhecido, oferece serviços como notícias, pesquisa e chats sobre investimentos

Paula Arend Laier e Tatiana Bautzer, da Reuters
07 de julho de 2021 às 12:06 | Atualizado 07 de julho de 2021 às 13:51
Dinheiro / real
Foto: Priscila Zambotto / Getty Images

A plataforma social para investidores Traders Club  precificará sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) em 26 de julho, em operação que pode movimentar até R$ 843,75 milhões, de acordo com prospecto preliminar da operação enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no final da terça-feira.

A oferta contempla a distribuição primária de até 75 milhões de ações, incluindo os lotes adicional e suplementar, com o preço estimado entre R$ 9 e R$ 11,25 cada, o que pode avaliar a plataforma em R$ 2,98 bilhões.

O Traders Club estima que 28,2% das ações ordinárias de emissão da companhia estarão em circulação após a realização do IPO, que tem BTG Pactual e Banco Modal como coordenadores.

De acordo com uma fonte com conhecimento do assunto, em sondagem preliminar antes da publicação do prospecto mais recente (processo que é conhecido como 'pilot fishing'), o book estava subscrito em 1,5 vez.

Fundado em 2016, o TC, como também é conhecido, oferece serviços como notícias, pesquisa e chats sobre investimentos. Tem uma base de 450 mil usuários no seu aplicativo.

Em 2020, a plataforma teve receita líquida de R$ 40 milhões, com Ebitda de R$ 18,8 milhões e lucro líquido R$ 13 milhões. Nos primeiros três meses de 2021, a receita somou R$ 21 milhões, com Ebitda de R$ 663 mil e prejuízo de R$ 26 mil.

A base de usuários atingiu 75 mil usuários pagantes em 30 de abril.

O início das negociações dos papéis no segmento Novo Mercado da B3 está previsto para 28 de julho, sob o código "TRAD3".