Ibovespa sobe 1,7% e dólar cai em dia de recuperação com otimismo internacional

Enquanto investidores começam a olhar para a temporada de balanços em Wall Street, a Bolsa paulista teve, finalmente, um dia positivo

Matheus Prado e Leonardo Guimarães, do CNN Brasil Business, em São Paulo*
12 de julho de 2021 às 09:14 | Atualizado 12 de julho de 2021 às 17:28
arte business mercado
Foto: CNN

Na volta do feriado em São Paulo, o mercado financeiro teve, finalmente, um dia positivo nesta segunda-feira (12). Com o otimismo internacional que dura desde sexta-feira, o dólar teve forte queda de 1,61%, para R$ 5,1736. 

Na B3, o dia também foi de recuperação. O Ibovespa subiu 1,73%, para 127.593 pontos. 

Ações ligadas ao minério de ferro puxaram a alta com o preço da commoditie subindo na China. CSN (CSNA3), Gerdau (GGBR4), Metalúrgica Gerdau (GOAU4) e Vale (VALE3) fecharam no campo positivo. 

O fechamento dos três índices acionários mais importantes dos EUA em máximas históricas contribuiu com o resultado positivo por aqui. 

O noticiário corporativo também ajudou. As ações da Embraer (EMBR3) dispararam 7,96% depois que a empresa divulgou que recebeu um pedido de 30 jatos E192-E2, com direito de compra de mais 50 aeronaves do mesmo modelo pela Porter Airlines. O pedido já era conhecido pelo mercado, mas a Embraer divulgou hoje o cliente e o direito de compra. 

Banco Inter (BIDI11) avançou 3,48%, após prévia operacional do segundo trimestre, quando atingiu 12 milhões de clientes, mais do que dobrando sua base ante o mesmo período do ano anterior. 

Já a Cosan (CSAN3) subiu 6% após reportagem da Folha de S.Paulo na última sexta-feira afirmar que o governo paulista quer renovar a concessão da Comgás, sua controlada.

No Boletim Focus, o mercado financeiro voltou a elevar a expectativa para a inflação de 2021. Na 14ª semana consecutiva de alta, a projeção do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) subiu para 6,11%. Na semana passada, a previsão era de inflação de 6,08%.

As perspectivas do mercado financeiro para a atividade econômica deste ano têm melhorado. A expectativa é que o PIB (Produto Interno Bruto) de 2021 fique em 5,26%. Na semana passada, era esperado crescimento de 5,18%. Se confirmado, esse desempenho positivo do PIB de 2021 seria suficiente para recuperar a queda de 4,1% registrada em 2020.

Globalmente, investidores deixaram temporariamente de lado receios com a rápida propagação da variante Delta da Covid-19 e voltam sua atenção para balanços corporativos trimestrais que começam a ser divulgados nos EUA nesta semana.

Lá fora

Os principais índices de Wall Street terminaram esta segunda-feira em máximas recordes, impulsionados pelas ações da Tesla, enquanto investidores aguardam o início da temporada de balanços do segundo trimestre e uma série de dados econômicos.

Os setores de finanças, serviços de comunicação e imobiliário estiveram entre os líderes do S&P 500.

O Dow Jones fechou em alta de 0,36%, a 34.996 pontos, enquanto o S&P 500 avançou 0,35%, a 4.384 pontos, e o Nasdaq subiu 0,21%, a 14.733 pontos.

As ações europeias atingiram novas máximas nesta segunda-feira com ganhos generalizados, mas as preocupações com o ritmo da recuperação econômica fizeram dos setores defensivos a melhor oferta, enquanto as ações de viagens despencaram com a variante Delta do coronavírus se tornando dominante.

O índice FTSEurofirst 300 subiu 0,68%, a 1.778 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhou 0,69%, a 461 pontos e atingiu 461,10, ampliando os ganhos de sexta-feira após uma semana tumultuada. O DAX da Alemanha também atingiu brevemente uma nova máxima de 15.806,900 pontos, antes de fechar pouco abaixo desse nível.

As bolsas asiáticas fecharam em alta generalizada após Wall Street renovar máximas no último pregão, apesar de preocupações sobre a disseminação da variante originaria da Índia e à medida que investidores aguardam a nova temporada de balanços dos EUA.

O índice Xangai Composto subiu 0,67% hoje, a 3.547,84 pontos, depois que o Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) anunciou um corte de compulsório bancário no fim da semana passada, liberando recursos para mais empréstimos. Já o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,98%, a 2.485,15 pontos.

Em outras partes da Ásia, o japonês Nikkei saltou 2,25% em Tóquio, a 28.569,02 pontos, enquanto o Hang Seng se valorizou 0,62% em Hong Kong, a 27.515,24 pontos, o sul-coreano Kospi subiu 0,89% em Seul, a 3.246,47 pontos, interrompendo uma sequência de três sessões negativas, e o Taiex registrou alta de 0,87% em Taiwan, a 17.814,33 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana também ficou no azul hoje, impulsionada por produtoras de minério de ferro. O S&P/ASX 200 avançou 0,83% em Sydney, a 7.333,50 pontos.

*Com informações de Reuters e Estadão Conteúdo